circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

segunda-feira, 23 de março de 2015

Fundação 25 de Julho e Epagri promovem 2ª Festa Regional do Palmito

Dois dias de festa, no sábado e domingo (28 e 29/3), com equipes preparadas para receber grande público, são as estratégias da Fundação 25 de Julho e da Epagri para aperfeiçoar um evento que veio para ficar: a Festa do Palmito Cultivado. Realizada na Sociedade Rio da Prata, em Pirabeiraba, a comemoração deste ano espera receber pelo menos o mesmo público da edição de 2014, quando passaram pelo local perto de 3 mil pessoas. 

“Estamos com estrutura preparada nos mesmos moldes de festas que recebem grande público, como a Bandoneonfest e a Festa do Colono”, disse Valério Schiochet, presidente da Fundação 25 de Julho. No evento técnico que precede as comemorações, na quinta-feira (26), estão previstas duas palestras sobre a cultura do palmito cultivado.

Considerada uma das iguarias mais apreciadas da cozinha brasileira, a Festa do Palmito foi idealizada com a intenção de disseminar a cultura e consumo de um segmento que cresce a cada ano em todo o país. “A produção de palmito é uma grata surpresa para nós e hoje é uma cultura que cresce em média 10% ao ano”, comenta Onévio Zabot, gerente regional da Epagri em Joinville.

O cultivo de palmeiras para consumo de palmito ganha cada vez mais espaço entre as culturas de produção agrícola. Mais de três mil produtores rurais do litoral norte catarinense tem na produção de palmeiras parte de sua renda. Onévio Zabot afirma que em algumas cidades, como Massaranduba, por exemplo, a cultura já ultrapassou a produção de bananas em área plantada.

A diversidade das espécies surge com as dificuldades e restrições inicialmente impostas ao corte da palmeira Euterpe Edulis (juçara). A partir daí entram em cena alternativas com menor impacto ambiental, como a palmeira real, palmeira imperial e a pupunha. “O mercado se ajusta com a demanda e nós precisamos levar o apoio técnico para os produtores”, diz Valério Schiochet.

Agregar valor à produção primária é condição fundamental para que as palmeiras se estabeleçam como fonte geradora de emprego e renda. “Hoje o produto já é uma das fontes de renda que garante estabilidade para o agricultor e a Festa do Palmito se propõe a promover o conhecimento técnico, ajudando os produtores”, afirmou Zabot. Outra meta do evento é promover parcerias de negócios entre produtores, empresas compradoras  e fornecedores da cadeia produtiva.

Encontro técnico regional

Para disseminar informações técnicas entre os produtores e profissionalizar a produção do palmito, Fundação 25 de Julho e Epagri promovem o Encontro Técnico Regional, também na Sociedade Rio da Prata, no dia 26 de março, quinta-feira, a partir das 8 horas. “Nós temos esta responsabilidade de colaborar na capacitação como forma de incentivo à produção”, disse Valério Schiochet. 
  
Programação:

Encontro Técnico Regional
Dia 26 de Março, na Sociedade Rio da Prata
8h00 – Credenciamento
9h00 - Abertura
9h30 -  Palestra “O cultivo de palmeira Juçara para produção de frutos em SC”
11h00 Palestra “Produção de mudas de pupunha em tubetes e maneja da cultura”
12h30 Almoço à base de palmito

Inscrições na Epagri (fone 3461-1520) e na Fundação 25 de Julho (3424-1188)
Valor da Inscrição: R$ 30,00 (Palestras + almoço)

Festa do Palmito Cultivado
Dia 28 de março, sábado, na Sociedade Rio da Prata

20h00 – Jantar típico à base de palmito. Valor R$ 32,00
23h00 – Baile com a banda Os Montanari

Dia 29 de Março, domingo, na Sociedade Rio da Prata

09h30 – Início das atividades com apresentações culturais
11h00 – Início da música com conjunto Estrela de Ouro
11h30 – Almoço típico à base de palmito. Valor R$ 32,00
14h00 – Tarde-dançante com conjunto Estrela de Ouro
18h00 - Encerramento

Nenhum comentário: