circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Professora de CEI do Vila Nova premiada pelo MEC

A professora Joseane Helena Schulz, do CEI Raio de Sol, está entre os premiados na 6ª Edição do Prêmio Professores do Brasil, realizado pelo Ministério de Educação (MEC). O projeto idealizado pela professora, denominado “Arte em movimento: os móbiles como suporte de diálogo das crianças com a tridimensionalidade do planeta” foi desenvolvido entre os alunos do CEI. Na próxima semana, a professora Joseane, acompanhada da diretora da unidade, Marlene Malschitzky, vai a Brasília para participar da cerimônia oficial de premiação, além de um seminário disponibilizado pela organização do evento. 

Inspirada no escultor Alexander Calder, que transformou móbiles em arte no início do século passado, uma professora de Joinville transformou formas geométricas, cores, texturas e sucatas em obra de arte. A iniciativa trouxe verdadeiras descobertas para aproximadamente 50 crianças de quatro anos do Centro de Educação Infantil (CEI) Raio de Sol, do bairro Vila Nova.

A professora Joseane Helena Schulz, 32 anos, teve seu projeto escolar reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e será uma das homenageadas no 6º Prêmio Professores do Brasil. A organização vai divulgar o resultado oficial da premiação hoje no www.premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br.

O CEI Raio de Sol, por si só, já é encantador. Com hortas e flores espalhadas pela escola, o portal para um destes espaços foi decorado pelos alunos do 1º período da educação infantil, já no fim do ano passado.

Eles penduraram um móbile e um acortinado com materiais que produziram dentro de sala de aula. A ideia partiu da professora Joseane. “A nossa escola já tem este objetivo de trabalhar todos os espaços. Temos a arte como ponto norteador. Por isso, busquei as obras de Alexander Calder como proposta de trabalho, pois ele usa diversos elementos. Então, tentamos tirar uma de suas obras, Pirâmides, do papel”, contou a professora, que já atua na escola há oito anos.

A partir daí, os alunos transformaram argila em uma obra tridimensional. Eles fizeram bolinhas e triângulos com a matéria-prima da terra e pintaram com as cores do trabalho do artista internacional. Durante todo o processo, os pequenos aprenderam sobre as formas geométricas, as cores, a quantidade, e também a trabalhar em equipe.

“O móbile deixou todos eles encantados. Alguns pais chegavam na escola querendo saber mais do Alexander, que os filhos tanto falavam em casa”, comemora Joseane.


Fontes: Secretaria de Educação e jornal A Notícia.

Um comentário:

luciane araujo disse...

Meus parabéns Professora Joseane. Pela matéria pude imaginar a satisfação de seus alunos, pois despertou neles um mundo desconhecido.