circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Associação de Apicultores de Joinville recebe caixas de abelhas em Pirabeiraba

A Associação dos Apicultores de Joinville (Apiville) recebeu nesta terça-feira 54 caixas de abelhas para o cultivo de mel. 

A ação faz parte de convênio entre a Federação das Associações de Apicultores de Santa Catarina, Fundação Banco do Brasil e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES). 

Através do convênio, serão entregues no total 2.700 caixas em todo o Estado. A região Norte foi contemplada com 540 unidades, 54 para cada uma das dez associações. A Prefeitura de Joinville apoia a iniciativa. 

Segundo o técnico da Fundação 25 de Julho e integrante da Apiville, Ingo Weinfurter, a doação vem num momento importante e é um incentivo para melhorar as condições de cultivo das abelhas. 

“Em 2018, teremos o Congresso Nacional da Apicultura em Joinville e é preciso intensificar ações para motivar a produção de forma adequada”, disse.

Para o vice-presidente da Apiville, Lírio Antônio Andrioli a ação mostra o comprometimento da Fundação Banco do Brasil com a apicultura. “Com este incentivo nós temos também a responsabilidade de melhorar nossa produção”, disse. 

O representante da Federação Catarinense de Apicultura, José Mauman, citou a necessidade de se fazer um inventário geral na apicultura no Estado. 

“Será realizado para que possamos conhecer as realidades de cada um dos apiários existentes no Estado, a quantidade, os padrões utilizados, a produção, entre outros”, destacou.

O presidente da Fundação 25 de Julho, Valério Schiochet, aproveitou a solenidade de entrega das caixas para informar sobre a cessão de espaço para a implantação de uma unidade coletora de mel. “O imóvel a ser cedido vai sediar a Estação do Mel e é uma forma da Prefeitura apoiar ações na área da apicultura”, disse.

A produção de mel na região Norte do Estado alcançou em 2014 o volume de 87 toneladas. Em 2015, este número subiu para 140 toneladas.

“Esta variação ocorre em função das mudanças climáticas”, explicou Ingo.

Foto: Rogerio da Silva

Nenhum comentário: