circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Entenda como funciona o Centro de Bem-estar Animal

O Centro de Bem-estar Animal (CBEA) entrou em funcionamento em 2012 e desde então proporciona mais dignidade a cães e gatos em situação de rua em Joinville e segurança à população. O serviço localiza-se numa região afastada do centro da cidade: na Estrada Blumenau, km 11, s/n, área rural do bairro Vila Nova, na segunda lateral à direita após o cemitério da Estrada Blumenau.

Há três anos, a equipe do Centro atua no controle e na diminuição da população de cães e gatos por meio de castrações internas e mutirões anuais, cuidado de animais vítimas de maus-tratos, identificações com dispositivo eletrônico (microchips), vermifugações e vacinações.

“Os bichinhos ficam aqui até receber alta. Depois, são encaminhados para guarda temporária de voluntários ou devolvidos ao local em que foram encontrados. Só acolhemos animais muito debilitados”, explica Ludmille Almeida, coordenadora do CBEA. Entre as exceções, estão Toco e Nina, que moram no local desde o início. O comportamento arredio deles dificulta adoções.

A administração da estrutura é responsabilidade da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA). Abre das 7 às 19 horas, de segundas a sextas-feiras. Há 22 funcionários, entre auxiliares de serviços gerais, tratadores, veterinários, motorista, agente administrativo e coordenadores. A equipe realiza, em média, 50 atendimentos por mês.

O prédio possui consultório, centro cirúrgico, salas de preparo, vacinação e esterilização, totalmente equipados. Os acolhimentos no canil são passageiros. Atualmente, há pouco mais de 80 animais no local: 10 gatos e 72 cães. Para adotar, interessados precisam preencher um formulário de posse responsável e comparecer ao Centro das 10 às 16 horas.

A atividade do Centro é regida pela lei complementar 360/2011, regulamentada pelo decreto 20.644/201 de 2013, que instituiu o programa de proteção animal no município. Por conta disso, o Centro participa de campanhas educativas junto ao Núcleo de Educação Ambiental da SEMA e mantém parceria com organizações não governamentais para encaminhar os animais à adoção.

No período de abrigo, os bichos recebem toda a assistência necessária, como banhos, alimentação, tratamento de doenças e passeios diários. “A maioria dos cães e gatos chega ao Centro através de protetores independentes. Já vítimas de maus-tratos só podem ser recebidas mediante apresentação de boletim de ocorrência”, destaca Ludmille.

Os resgates acontecem com base em denúncias da Ouvidoria da Prefeitura, de fiscais ambientais do município ou de solicitações do Ministério Público. Quando são confirmadas situações de maus-tratos, o proprietário recebe notificação com um prazo determinado para adequação.

Para o gerente de manutenção de Áreas Públicas, Reginaldo da Roza, a educação ambiental é essencial e beneficia a cidade como um todo. “Participamos de trabalhos de conscientização, como o programa Posse Responsável. É importante lembrar que o Centro não é um abrigo público de cães e gatos. Depois de tratados, os animais seguem para novos lares com o apoio de voluntários”, diz.

Principais serviços da unidade:

Castração
É promovida como forma de controlar a reprodução de animais de rua. O município não possui abrigo público para felinos e caninos abandonados, nem hospital ou clínica pública. Pessoas com renda de até um salário mínimo podem agendar castrações pelo número 3433-6157, das 8h às 14h. Demais tutores devem procurar clínicas particulares para realizar a castração.

Posse Responsável
A população de cães na cidade é avaliada em cerca de 130 mil. Por isso o projeto prevê um cronograma de apresentações teatrais em escolas públicas, além de empresas, grupos sociais, para servidores municipais e eventos organizados pela SEMA. O intuito é sensibilizar para a importância da posse responsável de animais domésticos, instruindo ainda sobre castração e cuidados básicos.

Microchipagem
O que é?
É outra forma do controle populacional e de zoonoses, através da identificação e localização dos tutores e coibição do abandono dos mesmos através de dispositivos do tamanho de um grão de arroz. A aplicação é indolor e ocorre sob a pele do animal, como uma vacina. Devem ser chipados cães, gatos, equinos (cavalos), muares e asininos (jumentos, mulas etc.).

Onde fazer?
Tutores podem fazer a chipagem em clínicas veterinárias particulares. No CBEA, o procedimento deve ser requisitado por ficha disponível no site da SEMA, com pagamento de R$ 28,95 e a apresentação do documento na sede do órgão, na Piazza Itália, bairro Anita Garibaldi. Quem comprova posse de animais castrados, adoção em ONGs e situação de baixa renda é isento da taxa.

Flagrantes
Maltratar animais é crime, previsto pela lei federal 9605/98, decreto 24.645/34. Reporte flagrantes de captura, aprisionamento ou abate de aves de espécies silvestres à Polícia Militar Ambiental, pelo telefone 190. Em caso de flagrantes de maus-tratos e abandono de animais domésticos, registre boletim de ocorrência na Polícia Civil ou na Polícia Militar, também no 190. Se possível, anotar placa do veículo ou fotografar a ação para facilitar etapas seguintes, como multas.

Denúncias
Para denunciar maus-tratos, criação irregular, abandonos ou informar a existência de um animal de rua ferido, ligue 156, das 8 às 18 horas, de segunda a sexta-feira, ou registre a situação pelo site http://ouvidoria.joinville.sc.gov.br, comunicando endereço (rua, número do imóvel onde a situação ocorre ou de imóvel em frente ou ao lado, bairro e ponto de referência). Animais feridos ou doentes que tenham tutor devem ser encaminhados a clínicas particulares.

Coletas de animais mortos
A coleta de animais mortos é realizada pela Ambiental, empresa de limpeza urbana, acionada pelo telefone 3436-8090.

Outras informações podem ser conferidas na página da Secretaria do Meio Ambiente, no link https://meioambiente.joinville.sc.gov.br/conteudo/8-Animais.html ou pelo telefone do Centro de Bem-estar Animal, nos números3433-6157 e 3433-2230.

CBEA em números no primeiro semestre de 2015:

Adoções: 112
Alimentações: 25.568
Atendimentos clínicos: 1.076
Banhos: 483
Cirurgias complexas, exames, transfusões: 97 
Curativos: 3.498
Devoluções ao meio: 23
Esterilizações: 186
Medicações: 7.464
Microchipagens: 198
Óbitos: 63
Quimioterapias e fluidoterapias: 64
Vacinações: 318
Vermifugações: 411
Ocorrências da Ouvidora tratadas: 348

Fonte: Prefeitura de Joinville

Nenhum comentário: