circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Vila Nova praticamente fora da lista de obras solicitadas pelos vereadores

Moradores da rua Maria Santa Correa esperam pelo asfalto
Acordo realizado entre a Câmara de Vereadores de Joinville e a Prefeitura proporcionou a possibilidade dos vereadores indicarem obras na cidade. Pelo novo acordo, cada um dos 19 vereadores teve direito de indicar emendas na infraestrutura da Prefeitura no valor de até R$ 1,5 milhão, caindo a preferência da maioria deles por asfaltamento de ruas. 

Em matéria de capa publicada nesta quinta-feira pelo jornal Notícias do Dia VEJA AQUI foram citadas as ruas que serão contempladas com pavimentação através das emendas parlamentares. Apenas um vereador lembrou do Vila Nova, colocando uma rua na listagem (rua Rolf Brümer). As demais indicações foram para os bairros de origem e da base de cada vereador.

Assim como o Vila Nova, bairros como o Morro do Meio e a região rural Oeste também não foram contemplados com obras de infraestrutura e pavimentação. Para o presidente do Conselho das Associações do Vila Nova - CAVIN, Adilson Girardi, isto é uma amostra da falta de representatividade política na região Oeste, que conta hoje com aproximadamente 50 mil eleitores. "A conversa de que o vereador é para toda a cidade só é boa em épocas de eleição", disse. 

Ainda nesta quinta-feira Girardi esteve visitando o setor de Pavimentação da Prefeitura, onde conversou com o engenheiro Miguel Melo, gerente da Unidade. Segundo Miguel, a expectativa é para que duas boas ações sejam desencadeadas no início do ano: a pavimentação comunitária e a liberação de financiamento para a pavimentação das ruas que servem de linhas de ônibus.

Melo alertou que para a obra sair são necessárias algumas condições, como  a existência de drenagem, esgoto na rua e a adesão dos moradores.

Prioridades

Em reunião realizada no início do ano, o Conselho das Associações promoveu amplo debate, com o apoio das associações de moradores e participação da Subprefeitura Oeste, para definir as ruas prioritárias para receber pavimentação. O documento foi protocolado junto à Prefeitura.

A listagem, com 40 ruas, contempla os trajetos por onde passam os ônibus, as travessias entre a rua XV de Novembro e o binário, as vias que levam a equipamentos públicos (escolas, CEIs, Unidades de Saúde), a ainda aquelas onde a pavimentação pode ser realizada com lajotas.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Público de 110 pessoas participa da audiência sobre a LOT no Vila Nova

Público ainda tem muitas dúvidas sobre a nova lei
Um público de 110 pessoas participou da audiência sobre a Lei de Ordenamento Territorial, a LOT, realizada na noite desta terça-feira, no Vila Nova. O encontro foi promovido na quadra da escola municipal Valentim João da Rocha e contou com representantes do Conselho das Associações - CAVIN, das associações de moradores do Vila Nova, Amarxv, Nova Vila, da Estrada do Sul e Blumenau, Parque XV e do Conjunto Irineu Bornhausen, além de moradores e comerciantes do bairro e de outros locais da cidade. 

A apresentação dos principais pontos da lei ficou a cargo do arquiteto Gilberto Lessa dos Santos, diretor executivo do Ippuj. Durante aproximadamente 20 minutos foram explanados os temas de maior interesse, como o uso e ocupação do solo, o zoneamento, as faixas viárias e as novas regras para os geminados.

A maior parte do tempo da audiência ficou reservada para o questionamento dos moradores. As principais dúvidas colocadas foram em relação às faixas viárias, à possibilidade de expansão das indústrias no bairro e da necessidade de preservar e melhorar a qualidade de vida no bairro.

Devido aos vários questionamentos, encontro, previsto para encerrar às 21 horas, foi prorrogado por duas vezes. Um dos pedidos dos moradores foi para que se realizassem mais reuniões no bairro para esclarecer a população a respeito da lei. O pedido foi atendido e, segundo o presidente do Ippuj, Vladimir Constante, a Prefeitura já está planejando novas reuniões, com formatos mais didáticos, a partir de janeiro de 2015.




segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Audiência pública sobre a LOT no Vila Nova nesta terça (25)

As duas vias do binário serão enquadradas como faixa viária
A série de audiências públicas sobre a Lei de Ordenamento Territorial chega ao bairro Vila Nova nesta terça-feira (25).

Os encontros, nove no total, iniciaram no dia 18, pela região Sudeste, e serão realizados nesta semana também nas regiões Leste (quarta), Nordeste (quinta) e em Pirabeiraba (sexta-feira).

A audiência realizada na região central, suspensa em virtude da lotação no espaço do plenarinho da Câmara de Vereadores, está remarcada para o dia 12 de dezembro, desta vez no plenário do Legislativo.

“Com isso, a reunião geral que pretendíamos fazer em dezembro foi prorrogada para o início de 2015”, disse o gerente de Integração Comunitária e Desenvolvimento Sustentável do Ippuj, Clailton Breis.

Na sexta-feira, mais de 150 pessoas da região Sudoeste participaram da audiência realizada no bairro Nova Brasília. “Há grande interesse da comunidade em conhecer os detalhes das regras que garantirão o desenvolvimento de Joinville com qualidade de vida”, disse Clailton.

Antes de cada audiência os participantes recebem uma cartilha onde estão explicados os vários conceitos técnicos que compõem a LOT como parcelamento, ocupação e uso do solo, zoneamento, área rural de proteção do ambiente natural, área rural de utilização controlada, área de interesse cultural, público, educacional, industrial, social, faixas viárias, adensamento e taxa de ocupação.

A reunião desta terça-feira tem como sede a Escola Municipal Valentim João da Rocha, situada na rua XV de Novembro, nº 7.030, ao lado do terminal de ônibus do Vila Nova.

A audiência começa às 19 horas, com previsão de término para as 21 horas. “Se precisar de mais tempo estaremos à disposição para esclarecer todas as dúvidas da comunidade”, garantiu Clailton.

Próximas audiências

25/11 – Subprefeitura da Região Oeste, às 19 horas
Local: Escola Municipal Valentim João da Rocha - Rua 15 de Novembro, 7.030 - Vila Nova

26/11 Subprefeitura da Região Leste, às 19 horas
Local: Associação dos Servidores Públicos Municipais de Joinville Rua José Elias Giuliari, 316 - Quiosque 5 - Boa Vista

27/11 – Subprefeitura da Região Nordeste, às 19 horas
Local: Escola Municipal Senador Carlos Gomes de Oliveira - Rua Lauro Schroeder, 777 – Aventureiro

28/11 – Subprefeitura Distrital de Pirabeiraba, às 19 horas
Local: Escola Agrícola Carlos Heins Funke (anexo à Fundação Municipal 25 de Julho) Rodovia SC 418, Km 0 – Pirabeiraba

12/12 – Subprefeitura da Região Centro-Norte, às 19 horas
Local: Plenário da Câmara de Vereadores

Fonte: Prefeitura de Joinville

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Alunos da Escola Arinor Vogelsanger conquistam troféus no xadrez

Professor Marlon e os alunos campeões de xadrez
Quatro alunos da Escola Municipal Arinor Vogelsanger, do Vila Nova, conquistaram medalhas e troféus em campeonato municipal de xadrez, os Jogos Escolares de Joinville (Jeville). A equipe, treinada pelo professor Marlon Rumpf, também do Vila Nova, teve como destaque a aluna Eduarda Silveira, que conquistou o primeiro lugar geral na categoria 11 a 13 anos. Pedro Rickl foi o segundo na mesma faixa etária. Na faixa dos 14 a 16 anos, dois segundos lugares com Júlia de Simas e Lucas Alves. 

A Escola Arinor Vogelsanger já tem tradição em campeonatos de xadrez. Além destes quatro troféus e das medalhas conquistadas neste ano, outras condecorações decoram uma das salas da escola. "Isto é fruto de muito trabalho e dedicação num esporte que ajuda a criança a ter também um melhor desempenho em sala de aula", disse o professor Marlon. 

Com aulas no contraturno escolar, as crianças que participam do projeto dedicam tempo extra, que tem garantido bons resultados nas competições e também na sala de aula.  "Todos os alunos que participam do projeto passaram direto de ano", comemora Marlon. E a competição também era para fazer parte das aulas. Como não havia vaga para todos, uma lista de espera chegou a ser elaborada para atender a demanda.

Preocupação

Uma das preocupações dos alunos é com a notícia de que o projeto de xadrez será encerrado na escola. "Disseram que a modalidade será inserida num projeto maior da Prefeitura, mas desconfio que não haverá professores disponíveis pela ajuda de custo que estão oferecendo", lamentou Marlon. 

Por conta da notícia, pais e alunos estão se mobilizando e chegaram a fazer um abaixo-assinado para ser encaminhado ao prefeito Udo Döhler, na intenção de sensibilizar as autoridades a manter o projeto nos mesmos moldes que vêm sendo realizado. 

Ippuj apresenta minuta da LOT para associações de moradores

Lideranças ouviram principais pontos da lei na Câmra
Mais de 50 dirigentes de associações de moradores de Joinville participaram na manhã desta segunda-feira (17), no plenarinho da Câmara de Vereadores, da apresentação de minuta do texto da Lei de Ordenamento Territorial (LOT).

Organizado pela Fundação Ippuj, o encontro foi uma prévia do que vai acontecer nas oito audiências programadas para ocorrer nos bairros sedes de Subprefeituras.

Na apresentação para as associações, técnicos do Ippuj rodaram vídeo contendo explicações gerais sobre a lei e o arquiteto Murilo Teixeira realizou uma apresentação piloto, tendo como base a região Sudeste, para ambientação dos participantes.

“Queremos que as lideranças dos bairros tenham conhecimento prévio do assunto, para depois multiplicar para a comunidade”, disse o gerente de Integração Comunitária e Desenvolvimento Sustentável do Ippuj, Clailton Breis. De acordo com Breis, nas audiências também será distribuída uma cartilha para orientação dos moradores.

Segundo o diretor executivo do Ippuj, Gilberto Lessa dos Santos, o objetivo da Prefeitura é esclarecer ao máximo o conteúdo da LOT para que a comunidade possa compreender as mudanças propostas e se manifestar. “Ainda há possibilidade de se realizar mudanças a partir de sugestões da comunidade”, afirmou.

Audiências nos bairros

As oito audiências públicas de apresentação da LOT serão realizadas nas áreas de abrangência das oito Subprefeituras a partir desta terça-feira (18) e se estenderão até o dia 28, sempre à noite, das 19 às 21 horas. No Vila Nova, a audiência pública será realizada dia 25 de novembro, terça-feira, na Escola Municipal Valentim João da Rocha. 

A mobilização dos moradores, além do envolvimento das associações, está sendo feita por meio de cartazes, faixas e convites dirigidos a igrejas, conselhos de segurança e saúde, escolas, postos de saúde e Subprefeituras. “Quanto maior a participação da comunidade, maior será a legitimidade do trabalho”, explicou Clailton Breis.

O projeto de lei foi elaborado pelo Ippuj e analisado nos últimos meses pelo Conselho da Cidade - órgão colegiado formado por representantes de diversas instituições comunitárias, como associações de moradores, entidades profissionais, empresariais, instituições de ensino, ONGs e poder público eleitos na Conferência da Cidade em 2013.

A primeira audiência será na terça-feira (18), na Escola Municipal João Costa (rua Monsenhor Gercino, 3.900), bairro Jarivatuba. Todos os editais de convocação das audiências estão à disposição no site da Fundação Ippuj, com link no site da Prefeitura de Joinville.

Nas audiências, os técnicos da Fundação Ippuj irão apresentar os conceitos gerais da LOT. As apresentações serão direcionadas à realidade de cada região da cidade, quando serão tratados todos os aspectos da Lei.

Depois de realizadas as audiências nos bairros, antes do projeto seguir para a Câmara de Vereadores será realizada a última audiência pública de caráter geral, marcada para o dia 8 de dezembro, no plenário da Câmara de Vereadores.

Calendário

18/11 – Subprefeitura da Região Sudeste
Local: Escola Municipal João Costa - Rua Monsenhor Gercino, 3900, Jarivatuba

19/11 – Subprefeitura da Região Sul
Local: Associação de Moradores Escolinha - Rua Adolfo da Veiga, 650, Boehmerwald

20/11 – Subprefeitura da Região Centro-norte
Local: Plenarinho da Câmara de Vereadores de Joinville - Avenida Hermann August Lepper, 1.100 – Saguaçu

21/11 – Subprefeitura da Região Sudoeste
Local: Igreja Imaculado Coração de Maria - Rua Fraternidade, 214 - Nova Brasília

25/11 – Subprefeitura da Região Oeste
Local: Escola Municipal Valentim João da Rocha - Rua 15 de Novembro, 7.030 - Vila Nova

26/11 - Subprefeitura da Região Leste
Loal: Associação dos Servidores Públicos Municipais de Joinville - Rua José Elias Giuliari, 316 - Quiosque 5 - Boa Vista

27/11 – Subprefeitura da Região Nordeste
Local: Escola Municipal Senador Carlos Gomes de Oliveira - Rua Lauro Schroeder, 777 – Aventureiro

28/11 – Subprefeitura Distrital de Pirabeiraba
Local: Escola Agrícola Carlos Heins Funke (anexo à Fundação Municipal 25 de Julho) Rodovia SC 418, Km 0 - Pirabeiraba
 
Fonte: Prefeitura de Joinville / Foto: Rogério da Silva/Secom.

Fundação 25 de Julho vai fazer experimento com variedades de palmáceas

Técnicos da Fundação 25 de Julho iniciaram nesta quarta-feira ações para um experimento com variedades de palmáceas.

No total, serão cultivadas quatro espécies de palmeira imperial, três de palmeira real, três de palmeiras nativas, uma da palmeira princesa e outra de pupunha.

Com o trabalho a Fundação pretende acompanhar toda a cadeia produtiva, desde a produção da muda até a industrialização do palmito, e colher subsídios para orientar os produtores da região.

Um espaço de aproximadamente cinco mil metros quadrados logo na entrada do imóvel da Fundação 25 de Julho será utilizado para o plantio. As mudas para realização do experimento são de produção própria.

Todo o trabalho será orientado por técnicos da Fundação com o apoio da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão de Santa Catarina (Epagri).

Segundo o engenheiro agrônomo Ricardo Plotow, gerente da Fundação 25 de Julho, o trabalho será dividido em duas áreas. Com as palmeiras real, imperial e princesa será feito um acompanhamento para analisar as etapas da produção.

Na categoria das palmeiras nativas, como o palmito juçara, o jerivá e o indaiá os experimentos serão para analisar as técnicas de sombreamento. “São palmáceas que produzem na sombra”, disse Ricardo.

Para engenheiro agrônomo German Ayala, da Fundação 25 de Julho, que é um especialista no tema e desenvolve pesquisa com palmeiras, o experimento é uma oportunidade de conhecer mais sobre as variedades, possibilitando melhor orientação para os produtores.

“A palmeira princesa, por exemplo, aqui no Brasil tem uso ornamental, mas no seu país de origem, as Ilhas Maurício, é fonte principal de extração de palmito”, explica.

Espécies que serão cultivadas:
- Palmeira Real da Austrália (Archontophoenix alexandrae e cunninghamiana)
- Palmeira Imperial (Roystoneas oleracea, regia, elata e borinquena)
- Palmeira Princesa (Dietyosperma álbum)
- Palmeiras Nativas (Juçara, Jerivá e Indaiá)
- Ingá feijão e Manjericão cravo (para o experimento de sombreamento)

sábado, 15 de novembro de 2014

Associação de Moradores Suíços faz reivindicações em reunião neste sábado

Aproximadamente 40 moradores da região dos loteamentos dos Suíços e Nova Vila III participaram de reunião promovida pela Associação de Moradores dos Suíços na escola Arinor Vogelsanger. O objetivo do encontro foi o de atualizar as informações para a comunidade e fazer reivindicações para o poder público. 

Entre os pedidos feitos pelo presidente Moacir, a segurança do entorno da escola, a instalação dos aparelhos de ar condicionado, a execução das calçadas na rua dos Suíços e a limpeza dos terrenos ao lado e em frente a escola Arinor Vogelsanger. 

Presente na reunião, a secretária Elenita, da Subprefeitura Oeste, explicou aos moradores que as melhorias na região foram solicitadas pela subprefeitura e devem começar a sair do papel no início do ano. "2015 também é o ano da pavimentação comunitária", disse. 

O presidente do Conselho das Associações do Vila Nova - Cavin, Adilson Girardi, explicou aos presentes o trâmite nos processos de cessão do terreno onde será construída a sede da associação de moradores e da parceria entre a Prefeitura e a empresa Krona para a construção de uma creche na área de abrangência da associação. 

No final, o assunto foi o abaixo assinado formalizado por um grupo de pessoas para manter as aulas de xadrez na escola. Recentemente a escola Arinor conquistou uma série de troféus em competição onde participaram escolas públicas e particulares de toda a cidade.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Fotos Festa das Flores 2014


















Audiência pública detalha propostas do Viva Cidade 2

Audiência foi realizada no Teatro Juarez Machado
Joinville conheceu na noite de quinta-feira (13) os projetos previstos no programa de reabilitação ambiental e urbana de Joinville, o Viva Cidade 2. A audiência pública, realizada no Teatro Juarez Machado, contou com a presença de servidores públicos, representantes de entidades de classe e lideranças comunitárias.
Conforme a diretora executiva da Secretaria de Administração e Planejamento e responsável pela execução técnica do Viva Cidade 2, Carla Cristina Pereira, o Viva Cidade 2 tem o objetivo de contribuir com a redução de riscos de inundações e com a solução de problemas de reabilitação ambiental e urbana do município de Joinville.

Serão realizadas ações destinadas à diminuição dos impactos do regime de chuvas, à ampliação do acesso aos serviços de saneamento, à preservação dos mananciais e ao aumento da capacidade operacional e de gestão do município de Joinville.

O investimento para implantação do projeto Viva Cidade 2 será de US$ 140 milhões, cabendo US$ 70 milhões ao BID e US$ 70 milhões à Prefeitura de Joinville. As melhorias vão beneficiar de forma direta a população inserida na bacia do rio Cachoeira principalmente as sub-bacias dos rios Mathias e Itaum-Açu e o bairro Vila Nova (que fica na bacia do rio Piraí), são cerca de 225 mil pessoas. Mas todos os moradores de Joinville vão se beneficiar com a implantação do parque.

Somente após a assinatura do contrato com o BID, ainda sem data definida, será feito o cronograma de execução das obras previstas.

Parque do Piraí e pavimentação

Entre as ações a serem executadas no Viva Cidade 2 estão contempladas as obras de microdrenagem e pavimentação em ruas do Vila Nova e o Parque do Piraí, que deve ser instalado na região da comunidade Santo Antônio, na Rodovia do Arroz. 

Participaram da audiência, representando a comunidade do bairro Vila Nova, além da secretária da Subprefeitura Oeste, Elenita de Souza, o presidente do Conselho das Associações - CAVIN, Adilson Girardi; a presidente e o secretário da Associação de Moradores do Vila Nova, Susana Staats e Erasmo Steiner e a vice-presidente da Associação de Moradores da Estrada do Sul e Blumenau e secretária do CAVIN, Vanessa Macoppi. 

O presidente do CAVIN fez questão de deixar registrado na audiência as preocupações da comunidade com os projetos. Em relação ao Parque do Piraí citou a questão da segurança  e a necessidade de melhorar o sistema viário nas vias de acesso; o controle das ocupações nos imóveis no entorno do parque e a necessidade de se realizar audiências com a comunidade para explicar detalhes do projeto.

Sobre a pavimentação e microdrenagem, pediu para que fosse obedecida listagem de prioridades de pavimentação elaborada pelo CAVIN em parceria com a comunidade e a revisão do sistema de esgoto antes de pavimentar.

Vanessa Macoppi, da associação rural, lembrou ainda da necessidade de levar infraestrutura para a região do Parque do Piraí, como pavimentação da Estrada Dedo Grosso e a extensão da rede de água potável para os moradores. Mencionou ainda a preocupação com a resolução dos problemas de alagamento no bairro Vila Nova.

Erasmo Steiner, secretário da Associação de Moradores do Vila Nova, criticou a falta de projetos do Município para resolver de forma definitiva os problemas na bacia do Piraí, responsáveis pelos constantes alagamentos na região Oeste. "Há mais de 30 anos nada de concreto é feito para solucionar", disse. Citou linhas de financiamento federais como forma de buscar recursos para obras de infraestrutura e drenagem. 

De acordo com Carla Pereira, a assinatura do contrato com o BID deve ocorrer até o primeiro trimestre de 2015, quando serão iniciadas as ações propostas pelo projeto.

Com informações da Prefeitura de Joinville / Foto: Rogério da Silva/SECOM.


 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Prefeitura realiza audiência pública sobre o Parque do Piraí, drenagem e pavimentação de ruas no Vila Nova nesta quinta

O Viva Cidade 2, Projeto de Reabilitação Ambiental e Urbana de Joinville 2, vai ser apresentado a toda a comunidade de Joinville numa audiência pública que será realizada nesta quinta-feira, dia 13 de novembro, às 19h, no Teatro Juarez Machado. O objetivo é apresentar à comunidade as ações e impactos diretos da implantação desse projeto.

O Viva Cidade 2 tem o objetivo de contribuir com a mitigação de riscos de inundações e com a solução de problemas de reabilitação ambiental e urbana do município de Joinville, por meio de ações destinadas à diminuição dos impactos do regime de chuvas, à ampliação do acesso aos serviços de saneamento, à preservação dos mananciais e ao aumento da capacidade operacional e de gestão do município de Joinville.

O investimento para implantação do projeto Viva Cidade 2 será de US$ 140 milhões, cabendo US$ 70 milhões ao BID e US$ 70 milhões à Prefeitura de Joinville.

Os objetivos específicos do Viva Cidade 2 são:


- Dar continuidade na implementação das ações propostas pelo Plano Diretor de Drenagem Urbana (PDDU) da bacia hidrográfica do rio Cachoeira;
- Criar o Plano Municipal de Gerenciamento de Riscos (PMGR) para minimizar os impactos dos desastres naturais sobre a população, por meio do Mapa de Fragilidade;
- Implementar e avaliar novas tecnologias construtivas e de manutenção da permeabilidade do solo, voltada a drenagem urbana sustentável;
- Atualizar e consolidar os Planos Municipais de Saneamento Básico;
- Criar um equipamento urbano de utilidade pública destinado a recreação e lazer com infraestrutura e mobiliário adequados para sua utilização;
- Ampliar o Sistema de Informações Georreferenciadas (SIMGeo) do município qualificando as ferramentas de geoprocessamento para tomada de decisão;
- Fortalecer a participação social por meio de processos de educação ambiental.

Público-alvo:


As melhorias vão beneficiar de forma direta a população inserida na bacia do rio Cachoeira principalmente as sub-bacias dos rios Mathias e Itaum-Açu e o bairro Vila Nova (que fica na bacia do rio Piraí), são cerca de 225 mil pessoas. Mas todos os moradores de Joinville vão se beneficiar com a implantação do parque.

Sistema de Esgotamento Sanitário:

O Município é parcialmente servido por um sistema de coleta, transporte e tratamento de esgoto sanitário, concentrada em sua área urbana. Este sistema apresenta uma extensão de aproximadamente 422 km de rede coletora em carga e em tratamento.

Atualmente o Município possui um índice de coleta de aproximadamente 20% da população por meio de quatro sistemas de tratamento de esgotos: ETE Profipo, ETE Morro do Amaral, ETE Espinheiros e ETE Jarivatuba, sendo esta última a principal unidade responsável pelo tratamento da maioria do esgoto coletado na cidade.

Para fins de contrapartida física no Viva Cidade 2, serão considerados a implantação completa das obras de esgotamento sanitário das Bacias 8.1 e 9.

A população a ser beneficiada pelas obras de esgotamento sanitário referente à contrapartida física do Viva Cidade 2 é de 19.091 habitantes, estimada em 5.607 famílias. Da mesma forma, está prevista a implantação de 57.741 metros de rede coletora, 4.652 ligações domiciliares e uma estação elevatória. O efluente dessas bacias será direcionado para a ETE Jarivatuba existente.

No fim do período do Viva Cidade 2, estima-se que 70% da população de Joinville será atendida com a coleta e tratamento de esgotos sanitários, correspondendo a aproximadamente 425.000 habitantes.

Sistema de Macrodrenagem, microdrenagem e pavimentação.
Executar obras de macrodrenagem nas sub-bacias dos rios Itaum-Açu e Mathias, propostas no PDDU (Plano Diretor de Drenagem Urbana) da bacia do rio Cachoeira (elaborado no Viva Cidade 1) para amenizar problemas de inundações nesses locais.

Contempla também o desenvolvimento do projeto executivo das obras hidráulicas com a consolidação dos estudos hidrológicos e hidráulicos das intervenções propostas para sub-bacia do Rio Itaum-Açu. Além de obras de microdrenagem e pavimentação em algumas ruas diretamente afetadas pelas obras de macrodrenagem.

O Viva Cidade 2 vai concentrar suas ações na sub-bacia do rio Itaum-Açu para compatibilizar as áreas que a Companhia Águas de Joinville desenvolveu projeto de esgotamento sanitário.

Microdrenagem e Pavimentação do bairro Vila Nova

Para avaliar novas tecnologias construtivas e de manutenção da permeabilidade do solo, para a infraestrutura de drenagem das águas pluviais, pretende-se contratar consultoria especializada na elaboração de estudos de concepção, projetos executivos, obtenção de licenças e execução das medidas ambientais de obras de microdrenagem e pavimentação de diversas ruas do bairro. O objetivo é contribuir na redução das inundações e seus impactos e criar condições para uma gestão sustentável da drenagem urbana do município.

Parque Recreativo e de Lazer Piraí

Parques representam melhoria na qualidade de vida da população, atuando direta ou indiretamente na saúde física e mental e na preservação de recursos naturais, além de equilibrar o ambiente urbano com a biodiversidade local.

Outro objetivo é proporcionar ambiente favorável para aulas de Educação Ambiental e de outros encontros sociais e culturais. Por isso, uma das ações do Viva Cidade 2 é a implantação do Parque Recreativo e de Lazer Piraí, Parque Piraí.

Será na zona oeste de Joinville, às margens no rio Piraí, junto a SC 108. A área está a 18 quilômetros do centro da cidade.
A implantação foi dividida em duas partes. A primeira, contemplada pelo Viva Cidade 2, abrange uma área de 535.160,00 metros quadrados, vai do rio Piraí até a Estrada do Dedo Grosso.

Melhoria da Capacidade de Gestão e Operacional

Para assegurar a sustentabilidade do Projeto, mediante o desenvolvimento de estudos e a atualização de planos municipais, tais como: mapa geológico do Município, planos de mineração e gestão de riscos, saneamento básico, comunicação socioambiental; guias de operação e manutenção (O&M) da pavimentação e dos sistemas de macro e microdrenagem, entre outros.

Serão contempladas ações de melhoria do sistema de tecnologia da informação e o Sistema de Informações Georreferenciadas (SIMGeo) do Município e a aquisição de equipamentos para complementar a rede de monitoramento dos recursos hídricos.


Fonte: Prefeitura de Joinville

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Mudanças na Polícia Militar no Vila Nova

Equipe do Conseg com os militares Floriano e Osvaldo
O mês de novembro trouxe mudanças na Polícia Militar no bairro Vila Nova. Com a promoção a 1º Sargento da Polícia, o Sargento Floriano recebeu convite para integrar a equipe de coordenação da Central de Emergência do 8º Batalhão. Com a alteração, o sargento Osvaldo, que também é morador do bairro, assume na condição de liderança militar junto ao Conselho de Segurança do Vila Nova e também passa a atuar na segurança na região. 

A substituição foi efetivada na reunião do Conseg, realizada nesta terça-feira, na sala de reuniões do Sesc Vila Nova. Participaram do encontro, além da diretoria do Conseg, liderada por Antônio Batista, o presidente do Conselho das Associações - CAVIN, Adilson Girardi, o vice-presidente, Elpídio Zimmermann e o presidente da Associação de Moradores da Estrada dos Morros, Ivo Juttel.


Projeto Mexa-se com a Felej inicia hoje no Sesc Vila Nova

Atividades no Sesc mobilizam comunidade do Vila Nova
A Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville (Felej) inicia nesta terça-feira (11), às 14 horas, as aulas de ginástica para pessoas com mais de 55 anos de idade. O Projeto Mexa-se com a Felej será realizado nas terças e quintas-feiras, das 14 às 15 horas, na sede do Sesc Vila Nova. As aulas são gratuitas e para participar basta fazer a inscrição no setor administrativo do Sesc do bairro.

Com esta modalidade, o Sesc praticamente fecha todos os horários com ofertas de atividades para a comunidade do bairro. Segundo Vanderlei Pereira, coordenador do Sesc Vila Nova, a meta de público projetada para o ano de 2014 já foi superada. "Até 30 de setembro mais de 50 mil pessoas passaram pelo Sesc", afirmou.

Entre as atividades de mais destaque estão as aulas de ginástica, de dança, as escolinhas de futsal, vôlei e a cessão dos espaços da quadra para atividades esportivas. 

Foto: Divulgação Sesc.

Fundação 25 de Julho realiza capacitação de agentes comunitários

Capacitação foi realizada na região rural do Vila Nova
A Fundação Municipal 25 de Julho, em parceria com o programa ProgeSUS e as Regionais de Saúde do Vila Nova e de Pirabeiraba, promoveram a capacitação de 25 agentes comunitários de saúde que atuam na região rural de Joinville, nesta segunda-feira (10), na Estação da Saúde, antiga Escola Municipal André Immetzberger, na zona rural do bairro Vila Nova.

O encontro propôs a compreensão de procedimentos da assistência social, pois a região não possui CRAS. De acordo com a assistente social da Fundação 25 de Julho, Jaqueline do Rocio Alves Coelho, o objetivo é que os agentes sejam capacitados a compreenderem a importância do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Sistema Único de Assistencia Social (SUAS), no que diz respeito às questões de saúde do paciente e da família atendida, correlacionado também com as necessidades de educação, habitação e cultura.

"O objetivo é ampliar o conhecimento dos profissionais para perceberem essas questões sociais que também precisam ser atendidas. A proposta é estar interagindo e articulando políticas públicas em um todo, não só com relação à assistência social e a saúde", explica.

Ela ressalta a importância desse trabalho na área rural. "Muitas pessoas da área rural não possuem o Cadastro Único na Secretaria de Assistência Social e isso faz com que essa população, onde também se encontram o dependente químico, o idoso, o deficiente, a criança que trabalha, não seja percebida.

Por isso, o trabalho dos agentes comunitários é apresentar esses dados ao município", diz.

Fonte: Prefeitura de Joinville - Foto Rogério da Silva/Secom