circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Escola Karin Barkemeyer promove reunião para debater segurança no trânsito

Pais e professores compareceram para solicitar segurança
Mas de 50 pais e professores se reuniram nesta segunda-feira na Escola Municipal Karin Barkemeyer para discutir alternativas para melhorar a segurança no trânsito. 

A maior preocupação dos moradores é em relação à velocidade dos carros nos cruzamentos próximos à escola, que colocam em risco a vida dos alunos. 

Presentes na reunião, os representantes do Departamento de Trânsito da Prefeitura (Detrans) alegaram que o que pode ser feito agora são medidas paliativas, como monitorar o trânsito em alguns dias da semana, reforçar a sinalização, e programar a instalação de radares. 

Os moradores insistiram na necessidade de uma solução imediata. O diretor da escola, professor Francisco, lembrou aos presentes também sobre a importância dos pais perceberem a presença de pessoas estranhas no entorno da escola, "que muitas vezes podem oferecer entorpecentes para as crianças", disse. 

O presidente do Conselho das Associações de Moradores, Adilson Girardi, comentou que acompanha o processo desde o início da obra do binário e que em recente reunião com o prefeito ficou acertado que um dos radares que estava destinado para a rua XV de Novembro seria deslocado para o cruzamento com a rua Márcio Luckow, em frente à escola. "Foi um compromisso registrado na ata da reunião e se for necessário vamos voltar a procurar o prefeito", garantiu. 

Fundação 25 de Julho vistoria novas unidades de agroindústrias rurais



Escola desativada é a sede do Grupo de Mulheres Rurais
Duas novas unidades de agroindústria rural estão em fase de implantação na região bairro Vila Nova. Uma delas deve produzir inicialmente biscoitos e biomassa de banana e a outra massas caseiras. Nesta terça-feira, técnicos da Fundação 25 de Julho e da Vigilância Sanitária fizeram as primeiras inspeções para verificar a regularidade dos locais. 


Na primeira unidade visitada, na Estrada Blumenau, já funciona um Grupo de Mulheres Rurais. A partir de cursos de capacitação oferecidos pela Fundação 25 de Julho as mulheres vislumbraram a possibilidade de obter renda extra com a venda de produtos coloniais. 


“São produtos que as comunidades já estão acostumadas a fazer, mas faltava a visão empreendedora e a adequação às normas legais para comercializar”, esclarece Valério Schiochet, presidente da Fundação. 


Outro local que recebeu a visita foi o galpão de festas da Comunidade Santo Antônio, na Rodovia do Arroz. A região é habitada por descendentes de italianos que se deslocaram para o meio rural para o plantio de arroz. Nesta propriedade a intenção é que seja implantada uma unidade de produção de massas caseiras, “as mesmas que são produzidas para a Festa da Polenta”, diz Valério.


Agroindústrias 


O meio rural joinvilense concentra hoje 41 agroindústrias, compostas por pequenas propriedades familiares. O grupo está ligado à Associação Joinvilense de Agroindústrias Artesanais Rurais (Ajaar). O apoio técnico é prestado pela Fundação 25 de Julho. “Orientamos desde o início do processo, ainda quando existe apenas a intenção de formalizar o negócio”, afirma Íria Salete Vicznevski, coordenadora da área de projetos da Fundação.


Orientação
Para que uma agroindústria possa se estabelecer e atuar em Joinville o primeiro passo é procurar orientação técnica junto à Fundação 25 de Julho. “A condição básica é que seja produtor rural”, define Íria. A comprovação desta condição ocorre mediante apresentação do bloco de notas do produtor.


Através da Fundação 25 de Julho, da Epagri e da Ajaar o produtor pode se inscrever nos cursos disponibilizados para aperfeiçoar as técnicas de produção e manejo de alimentos. Este procedimento vai possibilitar a obtenção do selo da agroindústria.


O passo seguinte é realizar a adequação dos espaços físicos de acordo com cada ramo de atividade. Um dos itens mais fiscalizados se refere às condições sanitárias das instalações. Depois de tudo pronto a Fundação encaminha a documentação para a Vigilância Sanitária, que libera o alvará de produção.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Aluna da escola Maestro bate mais dois recordes no atletismo

Ana Lays Bayer é atleta no arremesso do martelo
No dia 2 de setembro, a atleta da Felej Ana Lays Bayer completou 16 anos. E o mês de aniversário tem sido especial para ela: no domingo (21), em Recife-PE, Ana Lays bateu o recorde brasileiro no arremesso de martelo de 3 quilos, categoria menores (até 17 anos), com a marca 58m43cm. Dois dias depois, terça-feira (23) pela manhã, em Criciúma, ela quebrou seu próprio recorde nos Jogos da Juventude Catarinense (Olesc) ao cravar 57m09cm. “Está sendo um mês bem legal”, comemora a atleta que tem mais um ano na categoria menores.

O recorde brasileiro batido em Recife garantiu a Ana Lays a presença na Seleção Brasileira no Sul-Americano de Menores, que será disputado em Cáli, na Colômbia, no final de novembro. A vitória na Olesc ajudou Joinville a se manter na luta pelo título do atletismo feminino. O segundo lugar na prova ficou com Samara Furtado, companheira de Lays nos treinos e “rival” nas competições.

Os bons resultados alcançados nas últimas competições levam a estudante da escola estadual Maestro Francisco Manoel da Silva, no bairro Vila Nova, a alimentar um sonho: vai lutar para alcançar a marca que a coloque nas Olímpiadas de 2016, no Rio. “Se conseguir chegar aos 70 metros, acredito que posso disputar as Olimpíadas no Brasil”, avalia a atleta.

Em um ano, Ana Lays conseguiu melhorar seu índice na Olesc de 49m40cm para 57m09cm. E os treinos com o técnico João Carlos dos Santos, na pista da Univille, continuam em ritmo forte – das 14 às 18 horas de segunda a sexta e das 8 às 12 horas, no sábado. Até o final do ano, Ana vai disputar os Jogos Abertos, em outubro, e o Sul-americano, em novembro.

Fonte: Prefeitura de Joinville. Foto: Phelippe José da Silva/Secom

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Confira os locais de votação no Vila Nova

O bairro Vila Nova vai contar com oito locais de votação nas eleições deste ano. De acordo com informações do Tribunal Regional Eleitoral (www.tre-sc.gov.br) o bairro conta com 16.203 eleitores. Os dados são atualizados até o dia 1 de setembro de 2014. Confira abaixo os locais de votação, de acordo com a zona e seção eleitoral. Também é possível realizar a consulta on line, por nome do eleitor. Para isso é preciso informar o nome completo, data de nascimento e nome da mãe. Clique AQUI para consultar.

Locais de votação:

Escola Municipal Senhorinha Soares. Rodovia do Arroz, 6.778 (Cristo Rei). 96ª zona eleitoral.                
Seções 150 e 155.

Escola Municipal Karin Barkemeyer. Rua Márcio Luckow, 450. 96ª zona eleitoral.       Seções 193, 195, 200, 202, 212, 213.

Escola Municipal Bernardo Tank. Rua XV de Novembro, 8.574. 19ª zona eleitoral.      Seções 737 e 739.

Escola Municipal Arinor Vogelsanger. Rua Rolando Gurske, s/n. 19ª zona eleitoral.    Seções 731 e 738.

Escola Municipal Valentim João da Rocha. Rua XV de Novembro, 7.030. 19ª zona eleitoral. Seções 538, 568, 597, 606, 635, 651, 654, 658, 664, 669, 673, 677, 681, 711, 716.

Escola Maestro Francisco Manoel da Silva. Rua XV de Novembro, 8.508. 19ª zona eleitoral. Seções 469, 470, 471, 472, 473, 475, 476, 477, 502, 552, 567, 634.

Escola Municipal Anaburgo. Estrada Anaburgo, 1.747. 19ª zona eleitoral. 
Seções 474, 526, 678, 703.

Escola Municipal Professora Valesca May Engelmann. Estrada dos Morros, s/n. 19ª zona eleitoral. 
Seção 443. 


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Público de Joinville prestigia Feira da Primavera

Evento foi realizado na Ceasa, no Distrito Industrial
O tempo colaborou e levou muita gente na manhã e tarde deste sábado para a Feira da Primavera, na Central de Abastecimento – Ceasa, no Distrito Industrial. Flores, plantas ornamentais, mudas de verduras, palmáceas, além de produtos coloniais foram comercializados durante todo o dia. Para a Fundação 25 de Julho a feira tem demanda para ser realizada mais vezes no ano.

Junto com a feira de mudas foram realizados eventos na área do agronegócio. No período da manhã agricultores participaram de palestra sobre agroecologia e produção orgânica. Anexo ao galpão onde eram comercializadas as plantas foi realizada a 1ª Feira Agroecológica. No local os produtores vendiam verduras e legumes.

Isaías da Silva, que mora em Pirabeiraba e trabalha como vigilante, a feira é uma boa oportunidade para adquirir variedades diferentes de mudas de frutas e flores. “Hoje estou levando um vaso com gerânios com cores diferentes”, disse. Fernando Amorim foi outro visitante que saiu satisfeito. Na banca de árvores frutíferas ele adquiriu mudas de tangerina a acerola. “O preço está muito bom e valeu a pena ter vindo”, comentou.

Entre os comerciantes, a família Neitzel esteve presente com o casal Giovani e Cristine. Na banca, eles vendiam petúnias, gerânios, beijo-rajado, entre outras flores em vasos. Os preços variavam entre R$ 7 e R$ 30, conforme o tipo de flor. Com sede no Jardim Sofia, a empresa Aldo Flores estava pela primeira vez na feira. “Nós vendemos mais flores de época e esta é uma boa oportunidade para comercializar e divulgar nosso produto”, disse Aldo.

De acordo com a previsão da Fundação 25 de Julho, mais de 500 pessoas passaram pela feira durante todo o dia. “É um tipo de evento que agrada a comunidade e que está cada vez mais se firmando como boa opção tanto para produtores como para os consumidores”, disse o presidente da Fundação 25 de Julho, Valério Schiochet.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Após reunião com prefeito, obra solicitada pelo Cavin no Anaburgo está em execução pela Subprefeitura Oeste

Obras de infraestrutura na Estrada Anaburgo 
Entre as melhorias solicitadas pelos moradores da região do Anaburgo, no bairro Vila Nova, em reunião realizada com o prefeito Udo Döhler com a presença de representantes do Conselho das Associações, Cavin, uma delas está em execução pela Subprefeitura Oeste. 

Nesta semana máquinas e funcionários trabalham na implantação de drenagem, colocação de meios-fios, aterro e ensaibramento de toda a extensão da Estrada Anaburgo, a principal via do local.

Mais de 100 tubos de 80 cm de diâmetro já foram utilizados na implantação da drenagem. A implantação dos passeios era uma reivindicação antiga dos moradores, que pediam mais segurança para pedestres, principalmente as crianças que saem da escola local. 

“A obra vai garantir acessibilidade e mais segurança para pedestres, que antes precisavam se deslocar sobre a pista”, disse a secretária Elenita Ramos de Souza, da Subprefeitura Oeste.

Após a conclusão dos trabalhos na via, as ações devem se concentrar nas melhorias do estacionamento da escola e do trevo de entrada da Estrada Anaburgo. 

Nos demais pedidos formulados pelo Conselho das Associações do Vila Nova – Cavin, constam a regularização fundiária, em execução pela Secretaria de Habitação, a melhoria do acesso à rua dos Suíços (obra que já consta na programação do Departamento de Infraestrutura Estadual) e a implantação de área de lazer em terreno público do loteamento Norberto Baumer (em fase de elaboração de projeto).

Fonte: Prefeitura de Joinville. Foto: Rogério da Silva/Secom

Diversão e gastronomia na Festa da Polenta neste domingo (21)

Diversão e boa gastronomia aguardam o público neste final de semana na Festa da Polenta. Em sua 20ª edição, a festa reúne as tradições italianas preservadas pelos descendentes que se instalaram na região para o cultivo do arroz, em meados do século passado.

A programação começa às 10h30 com a missa na comunidade Santo Antônio, no bairro Vila Nova, segue com apresentações culturais típicas do lugar e oferece um cardápio variado de receitas da culinária italiana.

Para este ano, os organizadores da festa, o Grupo de Desenvolvimento da Mulher Rural Santo Antônio preparou apresentações com o Coral Italiano Genitori D’Stiani e com o Grupo Folclórico Le Belle Amicci, da comunidade do Cristo Rei.

A cultura representada pelo artesanato também estará presente nas festividades, com exposição e venda de trabalhos de artesanato manuais, além da venda de produtos coloniais, como cucas, pães, biscoitos, melado e geleias.

A gastronomia vai contar com um cardápio que tem como carro-chefe a tradicional polenta recheada, além de aipim, omelete com queijo, galinha caipira, macarrão caseiro, nhoque e verduras.

O preço do almoço é de R$ 25 por pessoa e pode ser adquirido na hora. “Está tudo preparado e esperamos receber pelo menos 600 pessoas para o almoço de domingo”, disse Nadir Zermiani, uma das organizadoras.

Programação 20ª Festa da Polenta
10h30 – Missa na igreja Santo Antônio, no Vila Nova
11h30 – Abertura da Festa com apresentações culturais (Coral Genitori D’Stiani)
12h00 – Almoço típico
12h00 – Programa Roda de Viola
14h30 – Apresentações culturais (Grupo Folclórico Le Belle Amici)
15h00 – Tarde-dançante
20h00 – Encerramento
Data: Domingo, dia 21 de setembro.
Local: Galpão da Igreja Santo Antônio – Rodovia do Arroz, km 23 – Vila Nova.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Fundação 25 de Julho promove Feira da Primavera neste sábado (20)


Flora Neitzel é maior produtora de flores em Joinville
Em evento de boas-vindas à primavera, que inicia na próxima terça-feira (23), a Fundação 25 de Julho promove neste sábado (20) a Feira de Flores e Plantas Ornamentais, no pátio da Ceasa, no Distrito Industrial Norte. Durante todo o dia, das 9 às 16 horas, produtores locais irão comercializar mudas nativas, ornamentais e frutíferas. Em eventos paralelos ocorrem no mesmo local o Encontro Regional de Agroecologia, a Feira da Associação Joinvilense de Agroindústrias Artesanais Rurais (Ajaar) e a comercialização de produtos agroecológicos.

Denominada Feira da Primavera, a ação é de iniciativa da Fundação 25 de Julho, com apoio da Fundação Turística de Joinville. Segundo o presidente da Fundação, Valério Schiochet, a proposta do evento é a de estimular a produção, garantir ao agricultor uma oportunidade de renda e potencializar o agronegócio. “É também uma ação preparatória à Festa das Flores, que ocorre em novembro”, comenta.

A produção de flores e plantas ornamentais se destaca na economia local. No ranking estadual, Joinville desponta como a terceira maior produtora. Com uma média de 60 produtores em atividade, o setor alcança neste ano uma área plantada de aproximadamente 180 hectares. Considerada uma atividade de pequenos agricultores, as propriedades têm em média 3 hectares, com rendimento de R$ 50 mil/ano por hectare.

Um dos maiores produtores de flores em Joinville, Levino Neitzel ocupa 200 mil metros quadrados de sua propriedade na Estrada Quiriri, zona rural de Pirabeiraba. O negócio é familiar, onde além de Levino e a esposa trabalham os três filhos do casal. “Todos os familiares acabam se envolvendo, de uma forma ou de outra”, afirma Levino.

Nos canteiros da propriedade, uma vasta variedade de espécies, como lavanda, gazânia, amor perfeito, ametista e gerânios, principal produto de vendas. Jonas Neitzel diz que a produção anual alcança 40 mil unidades de vasos vendidos.

No sábado, a família também estará presente na Feira da Primavera, comercializando as variedades produzidas na empresa Flora Neitzel.

Serviço:

Feira da Primavera – venda de mudas ornamentais, flores e árvores frutíferas.

Data: 20 de setembro, sábado, das 9 às 16 horas.

Local: Central de Abastecimento – Ceasa, Rua dos Bororós, 2.415, Distrito Industrial Norte

Informações: Fundação 25 de Julho (3424-1188); Ceasa (3473-5340)

Fonte: Prefeitura de Joinville. Foto: Rogério da Silva/Secom

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Joinville está entre os principais produtores de flores e plantas ornamentais do Estado

 O título de cidade das flores não se resume aos canteiros floridos espalhados pela cidade ou à festa temática realizada todos os anos.

No ranking estadual, Joinville também se destaca como terceira maior produtora de flores e plantas ornamentais. Com uma média de 60 produtores em atividade, o setor alcança neste ano uma área plantada de aproximadamente 180 hectares.

Para incentivar a produção, a Prefeitura de Joinville prepara uma série de atividades, que iniciaram com o já tradicional Concurso de Jardins, passa pela Feira da Primavera no próximo sábado (20) na sede da Ceasa e culmina com a 76ª Festa das Flores, marcada para 11 a 16 de novembro, na Expoville.

Considerada uma atividade de pequenos agricultores, a floricultura se concentra principalmente na produção de plantas ornamentais para jardins e flores em vasos.

“São propriedades com uma média de 3 hectares espalhadas pela região rural da cidade”, explica o engenheiro agrônomo Gilmar Germano Jacobowski, responsável pelo projeto de floricultura da Epagri em Joinville, Blumenau e Itajaí.

Segundo Jacobowski, a atividade alcança receita anual de R$ 50 mil por hectare plantado. A lucratividade fica entre 30% e 35%. Apesar dos números favoráveis, o técnico alerta que a floricultura não é a tábua de salvação da agricultura.

“É um setor que exige alto grau de profissionalização e que demanda um tempo maior de maturação, diferente de outras culturas onde os resultados aparecem depois de alguns meses”, alertou.

Exportações

Em Santa Catarina, praticamente 70% da produção de flores e plantas ornamentais está concentrada na região de Joinville, Corupá, Rio do Oeste e Laurentino, “que juntos formam o berço da floricultura catarinense”, diz Jacobowski. Ainda no Estado, o município de Biguaçu, na Grande Florianópolis, aparece como polo plantador de grama.

A maior parte da produção do Estado (cerca de 90%) é destinada à exportação para o mercado nacional. “Santa Catarina é um mercado essencialmente exportador, principalmente no ramo das plantas ornamentais de médio e grande portes”, disse Jacobowski.

Flores em vasos

Numa iniciativa que se destaca entre as economias emergentes do interior de Joinville, a produção de flores e plantas ornamentais se transformou na principal fonte de renda da família Neitzel, de Pirabeiraba. Entre pais, esposas e filhos, 10 integrantes da mesma família trabalham na empresa Flora Neitzel.

Na propriedade, com área total de 200 mil metros quadrados, Levino Neitzel e os quatro filhos decidiram, há 11 anos, substituir quase que 100% o cultivo de hortaliças pelo de flores.

Ainda restam algumas roças de verduras, mas os olhares se voltam para os canteiros cobertos onde estão os vasos de flores. “É uma boa fonte de renda e que até agora está conseguindo manter os filhos na propriedade”, diz Levino.

Nos canteiros, uma vasta variedade de espécies, como lavanda, gazânia, amor perfeito, ametista e gerânios, principal produto de vendas. Jonas Neitzel diz que a produção anual alcança 40 mil unidades de vasos vendidos.

A comercialização é realizada nas cidades do Norte do Estado e no Vale do Itajaí. “De toda a produção, 60% é entregue no local e os outros 40% são retirados aqui na propriedade”, diz o agricultor.

Em visita à propriedade, o prefeito Udo Döhler destacou o interesse da Prefeitura em incentivar o setor. “Temos a intenção de valorizar a produção de flores e plantas ornamentais na cidade, para incorporá-las na Festa das Flores”, disse o prefeito.

Döhler destacou a importância de garantir subsídio aos produtores rurais para que estes possam melhorar sua renda e assim permanecer no campo. “Do contrário, as gerações futuras irão embora e tudo isso pode acabar”, alertou.

Feira da Primavera


Uma das ações preparadas pela Fundação 25 de Julho para incrementar o setor de flores e plantas ornamentais é a Feira da Primavera. O evento tem como proposta a realização de uma exposição com venda dos produtos nos galpões da Ceasa.

Programada para o próximo sábado, dia 20 de setembro, das 9 às 16 horas, a feira contará com comercialização de mudas nativas, ornamentais e frutíferas, além de mudas de verduras e gramas de jardim.

Como eventos paralelos, a Feira da Associação Joinvilense de Agroindústrias Artesanais Rurais (Ajaar), o Encontro Regional de Agroecologia e a comercialização de produtos agroecológicos.

Segundo o presidente da Fundação 25 de Julho, Valério Schiochet “esta é uma ação que estamos desenvolvendo em parceria com a Fundação Turística para incentivar a produção”.

Concurso de jardins

Até o dia 25 de setembro, estão abertas as inscrições para o Concurso de Jardins, da 76ª Festa das Flores de Joinville.
A tradicional competição elegerá os mais belos jardins, em cinco diferentes categorias: residencial urbano, residencial rural, jardim escolar, jardim empresarial e parceria verde.

Os quesitos avaliados serão hamornia, ornamentação, manutenção, motivação e recursos utilizados. A avaliação dos jardins inscritos será realizada pela comissão julgadora, no período de 15 a 31 de outubro.

Já a premiação acontecerá no dia 15 de novembro, durante a programação da 76a Festa das Flores, no Complexo Expoville.
O regulamento completo e o formulário para inscrição gratuita no Concurso de Jardins estão disponíveis no site www.festadasflores.com.br.

Festa das Flores

A 76ª Festa das Flores de Joinville acontecerá de 11 a 16 de novembro, no Complexo Expoville. Neste ano, o tema “Agricultura Familiar” proporcionará ao evento um cenário bucólico, mas que retratará a importância do trabalho do homem do campo e a importância que a atividade rural exerce sobre o desenvolvimento social, econômico e turístico de toda uma região.
 
Fonte: Prefeitura de Joinville. Foto: Jaksson Zanco/Secom

domingo, 14 de setembro de 2014

Prefeitura de Joinville promove campanha contra o vandalismo

“Sua cidade é sua casa. Não deixe que destruam o lugar onde você vive”. Dentro desse conceito, a Prefeitura de Joinville lança nesta segunda-feira (15/09) uma campanha contra o vandalismo em praças, parques, monumentos e prédios públicos. A mensagem, com caráter de conscientização, será veiculada em emissoras de rádio, tevês, jornais e outdoors.
A ação da Prefeitura foi motivada pelo crescimento dos casos de vandalismo na cidade, envolvendo depredações de parques, praças, escolas, monumentos e também a ação de pichadores. Entre os exemplos da ação dos vândalos estão o prédio biblioteca pública municipal, o monumento A Barca, o museu sambaqui e o busto do empresário e político Abdon Baptista, instalado na praça do mercado municipal, e que teve a cabeça arrancada.
A iniciativa tem a parceria com a Polícia Militar e os casos em flagrante devem ser comunicados pelo telefone 190.  A campanha foi apresentada esta semana para o coronel Benevenuto Chaves Neto, comandante da 5ª RPM (Região de Polícia Militar). “Essa iniciativa tem o apoio da Polícia Militar. Daremos toda atenção às denúncias de vandalismo”, afirmou o coronel.
 O secretário de Comunicação da Prefeitura, Marco Aurélio Braga, diz que o enfoque da campanha é de conscientização. “Vamos distribuir cartazes e folders nas escolas para que a mensagem chegue também às nossas crianças. Queremos mostrar que não é normal a destruição do lugar onde você vive”, acrescentou o secretário.
Marco Aurélio lembrou que a Prefeitura já realizou neste ano a campanha contra o lixo descartado nas ruas e nos rios (“Jogue limpo com sua cidade”) e que pretende abordar outros temas nos próximos meses. “Faz parte do nosso planejamento campanhas para alertar sobre a violência no trânsito e sobre a importância da conservação das calçadas”, adiantou o secretário.
Fonte: Prefeitura de Joinville

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Trecho final da rua Rui Barbosa é interditado pela Prefeitura



Local fica próximo às nascentes do Rio Cachoeira
Medida é uma ação preventiva para evitar o depósito de lixo em área de preservação permanente
A Prefeitura de Joinville interditou nesta sexta-feira a parte final da rua Rui Barbosa, no bairro Costa e Silva. O trecho fica às margens da BR-101 e, há algum tempo, tem servido de depósito de lixo e entulho. O local é considerado APP (Área de Preservação Permanente) e abriga a nascente do rio Cachoeira. Numa parceria entre a empresa Ambiental, a Secretaria de Infraestrutura Urbana e Subprefeitura Centro-Norte, caminhões e máquinas trabalham durante todo o dia para remover os entulhos do local.

Segundo o secretário da Subprefeitura Centro-Norte, João Luiz Sdrigotti, a parte final da rua precisou ser totalmente fechada por causa da insistência com que o lixo era depositado no local, mesmo após a colocação de placas de advertência e diversas operações de limpeza. "Faremos o fechamento total, para que não seja mais possível acessar este local que servia, irresponsavelmente, de depósito de lixo”, alegou.

Todo o material removido será separado pela Ambiental, empresa concessionária da limpeza urbana em Joinville, e terá destinação correta de acordo com os tipos de entulho. Devido à movimentação constante de máquinas e caminhões, agentes de trânsito do Departamento de Trânsito (Detrans) estão no local para garantir o controle e a segurança.
Histórico de denúncias

O terreno localizado no trecho final da rua Rui Barbosa, que abriga as nascentes do rio Cachoeira, tem extenso histórico de denúncias de despejo de lixo. Praticamente todas as semanas a Subprefeitura Centro-Norte recebia ligações denunciando irregularidades. Numa das operações de limpeza realizadas pela Prefeitura neste ano mais de 30 toneladas de entulhos foram removidos. 

Durante ação de limpeza executada pela Prefeitura o morador James Miers lamentou a atitude das pessoas que jogam o lixo no local. “Esta área é muito bonita, mas está sendo muito degradada. Isto aqui é uma área de desova de veículos e de lixo há um bom tempo. Infelizmente, até usuários de drogas estão começando ocupar esta área, trazendo também insegurança para todos. Gente sem a menor consciência está usando esta área”, comentou.

Como descartar lixo de forma correta

Resíduos da construção civil
 Contratar empresa especializada no transporte deste tipo de material exigindo documento que comprove a destinação final do material em aterro licenciado.

Móveis, eletrodomésticos e animais mortos
Serviço disponibilizado pela Ambiental, com programação a ser agendada pelo telefone 3436-8090.

Materiais recicláveis (papel, plástico, metais e vidros)
 O recolhimento é realizado pela Ambiental. Para saber dos itinerários ou agendar a coleta de grandes volumes ligar para 3436-8090.

Óleo de cozinha usado
 Colocar numa garrafa pet e deixar bem fechadas ao lado do lixo reciclável no dia da coleta seletiva programada para seu bairro. Também pode ser depositado nos ecopontos. 

Películas de raio-x
Para evitar a contaminação do solo e da água pelos metais pesados contidos nas películas de raio-x estes materiais devem ser colocados numa sacola plástica separado do material reciclável e deixada pela recolhimento dos caminhos da coleta seletiva. 

Lixo eletrônico
Devem ser encaminhados a ecopontos de coleta ou devolvidos nos locais de compra, de acordo com a logística reversa. Existem empresas em Joinville que recolhem gratuitamente este tipo de material. Fone de contato 8429-7156 e 9228-5193. 

Mais informações sobre o destino de lixo em Joinville podem ser obtidas no setor de limpeza urbana da Secretaria de Infraestrutura Urbana, fone 3431-5061. 

Fonte: Prefeitura de Joinville. Foto: Rogério da Silva/Secom