circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Abertas as inscrições para o Concurso de Jardins da 76a Festa das Flores

Chegou a hora de Joinville ficar ainda mais florida. Até o dia 25 de setembro, estão abertas as inscrições para o Concurso de Jardins, da 76a Festa das Flores.

A tradicional competição elegerá os mais belos jardins, em cinco diferentes categorias: residencial urbano, residencial rural, jardim escolar, jardim empresarial e parceria verde.

Os quesitos avaliados serão hamornia, ornamentação, manutenção, motivação e recursos utilizados.

A avaliação dos jardins inscritos será realizada pela comissão julgadora, no período de 15 a 31 de outubro. Já a premiação acontecerá no dia 15 de novembro, durante a programação da 76a Festa das Flores, no Complexo Expoville.

O regulamento completo e o formulário para inscrição gratuita no Concurso de Jardins estão disponíveis no site www.festadasflores.com.br.

Para o presidente da Fundação Turística de Joinville, Raulino Esbiteskoski, além de ajudar a embelezar a cidade, o Concurso de Jardins ajuda a disseminar a essência da Festa das Flores, em toda a comunidade.

“A 76a Festa das Flores terá como tema a Agricultura Familiar e, com isso, queremos envolver ainda mais a comunidade em iniciativas que valorizem essa atividade e que envolvam Joinville com a nossa festa oficial”, diz Esbiteskoski.

O Concurso de Jardins da 76a Festa das Flores é realizado pela Fundação Turística em parceria com o Ittran (Instituto de Trânsito de Joinville).

Serviço:
76a Festa das Flores
Data: 11 a 16 de novembro
Local: Complexo Expoville
facebook.com/descubrajoinville

Fonte: Prefeitura de Joinville/Secom

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Projeto da Estação de Tratamento de Esgoto do Vila Nova será modificado

Diretores do Cavin procuraram Águas de Joinville
A Companhia Águas de Joinville vai fazer nova licitação para contratar o projeto da Estação de Tratamento de Esgoto do Vila Nova, que tem previsão de ser instalada no terreno anexo à Rodovia do Arroz. A informação foi repassada pela gerente de Projetos de Engenharia da CAJ, Clarissa Campos de Sá, aos diretores do Conselho das Associações do Vila Nova – Cavin e moradores, em reunião nesta quinta-feira à tarde na sede da Companhia.

O encontro foi resultado de consulta realizada pelo Cavin junto à Companhia para esclarecer a comunidade sobre a instalação do equipamento no bairro. “A preocupação dos moradores é com os impactos que uma estação pode trazer para o dia a dia da comunidade”, disse o presidente do Cavin, Adilson Girardi. A reunião também serviu como uma prévia do que será solicitado na próxima assembleia do Cavin, que será realizada no dia 4 de setembro no auditório da Igreja Católica Medianeira.

Segundo a engenheira Clarissa, os problemas que ocorreram com as Estações de Tratamento de Esgoto dos bairros Jarivatuba e Espinheiros serviram de alerta para a Companhia. No Jarivatuba a situação é um pouco diferente porque o modelo ainda é o antigo e a estação toda será refeita. Já no Espinheiros os problemas eram inesperados. “Por isso estamos revendo o projeto do Vila Nova, para que todas as falhas sejam eliminadas”, esclareceu.

A previsão da Águas de Joinville para aprovar a nova licitação é de pelo menos até o final de 2015. O processo ainda está na fase da elaboração do termo de referência. “Depois disso vai para a licitação para contratar o projeto”, disse Clarissa. Enquanto isso não ocorre, Clarissa garantiu que a obra será paralisada após a conclusão da terraplanagem.

Terreno

Durante a reunião, o presidente do Cavin sugeriu à engenheira que considerasse junto à diretoria da Companhia a proposta de mudar o local da estação, para um terreno mais distante de moradias. “Onde está hoje pode desvalorizar as propriedades e, caso haja algum tipo de problema que venha prejudicar a comunidade, vai demandar ações judiciais pelos moradores”, alertou Adilson.


Além disso, disse, “o terreno atual não tem espaço para garantir o cinturão verde previsto nas estações de tratamento de esgoto. É mais fácil resolver a questão agora, enquanto a construção não foi iniciada”, sugeriu.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Secretarias se unem para garantir mais segurança em rios

Rio Piraí é um dos mais procurados no verão
Uma série de ações foi definida nesta quarta-feira para garantir segurança, organização e preservação do meio ambiente durante o período de verão na região rural de Joinville.
Em parceria, a Fundação 25 de Julho, Fundação Turística, Secretaria do Meio Ambiente e Secretaria de Proteção Civil e Segurança (Seprot), se reuniram para definir o papel que cada setor vai desempenhar na época do ano em que milhares de banhistas procuram os rios da região para se refrescar.

Todos os anos, entre os meses de novembro e março, a preocupação aumenta entre os agricultores de Pirabeiraba e do Vila Nova, regiões que concentram os principais pontos de banho de água doce da cidade.

“O excesso de veículos combinado com o consumo de bebidas alcoólicas leva ao desrespeito às regras de trânsito, ao vandalismo e a abusos que afetam o meio ambiente”, diz o presidente da Fundação 25 de Julho, Valério Schiochet.

Para Schiochet, é necessário que sejam adotadas medidas para orientar os banhistas, disciplinando quando necessário. “Nós vamos trabalhar de forma educativa nos locais que a Fundação 25 de Julho indicar. Vamos acionar nossa Defesa Civil, agentes de trânsito e também solicitar o apoio da Polícia Militar”, disse o secretário de Segurança Francisco José da Silva.

Um dos trabalhos que a Seprot pretende dar continuidade é o Projeto Piava, para educação ambiental e segurança aos banhistas.

Nos trabalhos de prevenção e orientação, o grupo vai contar com a colaboração da Secretaria do Meio Ambiente e da Fundação Turística, que elaboram cartilhas e sacolas ecológicas com materiais para orientação.

“A sacola também vai servir para que o banhista utilize como saco para lixo”, disse Maria Raquel Migliorini, da Secretaria do Meio Ambiente.

Projeto Piava

O Projeto Piava (Prevenção de Incidência de Afogamentos no Verão em Água Doce) tem como objetivo principal orientar a população sobre os cuidados ao utilizar os rios dessas regiões, principalmente no verão. Em paralelo também é trabalhada a questão ambiental, com a conscientização sobre poluição nos locais de banho e preservação da natureza.

Esse projeto existe desde 2004, por meio da Defesa Civil/Nudec. Ele é realizado por voluntários que sempre auxiliam o órgão em suas ações. Esses voluntários formam o Núcleo de Defesa Civil (Nudec), responsável pela organização e apresentação das palestras.

Depois do trabalho de palestras nas escolas, o projeto se estende para blitze educativas nos rios e pontos de banho que foram mapeados pela Defesa Civil.

Os trabalhos são realizados geralmente aos domingos (alternadamente) de dezembro a março, onde são passadas orientações aos banhistas que se encontram no local.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Obras de ampliação avançam na Escola Bernardo Tank



Escola terá capacidade para atender até 500 crianças
Uma das obras da educação mais aguardadas pela comunidade do bairro Vila Nova sai do papel e avança na parte estrutural. A Escola Professor Bernardo Tank vai receber, além da reforma, mais 9 salas de aula e contará, ainda em 2015, com capacidade para receber mais 200 crianças nas séries do ensino fundamental. Hoje o espaço conta com seis salas e atende 310 crianças do primeiro ao quinto ano. 

Com a reforma a escola ganha espaço para sala de informática, biblioteca, supervisão/orientação, além de novos banheiros para atender os alunos. “A partir do ano que vem já queremos incorporar as turmas do 6º ano. As demais vêm de forma gradativa”, afirmou o diretor da escola, professor Délcio Bertelli. As obras estão orçadas em R$ 1 milhão e 17 mil.

Iniciada há três semanas, por ocasião da saída dos alunos para as férias escolares, a construção das salas está agora na fase de conclusão do fundamento. “A obra toda tem o prazo de um ano, porque ainda contempla as reformas nas demais salas da escola”, lembrou Bertelli. 

Novos CEIs

Além das obras na Escola Bernardo Tank, a Prefeitura também vai construir dois novos Centros de Educação Infantil no bairro Vila Nova. Estão em processo de licitação os CEIs da rua Laércio Beninca, no loteamento Parque XV de Novembro IV e da rua Rolando Gurske, no loteamento Nova Vila II. Cada nova unidade terá condições de atender até 240 crianças.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Atleta do Vila Nova bate recorde nos Joguinhos Abertos

Ana Bayer estuda no colégio Maestro. Foto de Phelipe José
Ana Lays Bayer, 15 anos, acorda cedo para frequentar o segundo ano do 2º grau na escola de educação básica Maestro Francisco Manoel da Silva, no bairro Vila Nova.

Almoça em casa e em seguida vai de ônibus para a pista de atletismo da Univille, onde treina de segunda a sexta, das 14 às 17h30. Aos sábados, complementa o trabalho da semana com treino das 8 às 12 horas.

A determinação da jovem atleta está se transformando em resultados. Na tarde de terça-feira, Ana Lays alcançou a marca de 50m65cm no lançamento de martelo nos Joguinhos Abertos, realizado em Caçador.

A atleta joinvilense quebrou um recorde do Joguinhos, que durava nove anos – desde de 2005 – de 46m89cm, da atleta Gisela Cardozo, de Blumenau.

Foi também a melhor marca do Brasil neste ano na categoria juvenil – de 16 a 19 anos, que utiliza um peso de 4kg. “Estou muito feliz. Superei até a marca que estava alcançando nos treinos”, comentou.

A história de Ana Lays no atletismo começou quando uma professora da escola municipal Anaburgo a levou para conhecer as modalidades de atletismo na pista da Univille, onde treinam as equipes de rendimento da Felej.

O primeiro contato foi com Margit Weise, a ex-atleta e treinadora, que a indicou para o lançamento de martelo. “Ela queria fazer salto em distância. Mas percebi que o martelo seria a melhor opção e a encaminhei para o João Carlos (João Carlos dos Santos, atual técnico de Ana)”, conta Margit.

A atleta tem colecionado vitórias em competições importantes, tanto na categoria menores, de 15 a 17 anos e martelo de 3kg, quanto na juvenil. E ainda trava uma saudável disputa com a colega Samara Furtado, também da Felej, na mesma prova. “Dessa vez tenho a melhor marca do Brasil”, comenta.

Nos Joguinhos Abertos, Ana Lays vai disputar pela primeira vez a prova de arremesso de peso “para ajudar o grupo a pontuar” e tem calendário completo até o final do ano, com provas em Santa Catarina e em outros Estados.
“Vou lutar para ir ao Sul-americano de Menores”, diz a atleta. Se depender de sua dedicação, a vaga está garantida.

Lançamento do Martelo
O lançamento do martelo é uma modalidade olímpica de atletismo. O desporto é baseado no lançamento de martelos, que foram trocados por bolas de metal presas por um cabo de arame pesando que termina numa pega ou alça.

- Na categoria feminina juvenil o peso é de 4kg.
- O conjunto bola-arame-alça formam uma unidade de comprimento máximo de 1,2 m.
- A base de lançamento da prova é um círculo de 2,1 m de diâmetro, geralmente rodeado por uma rede que protege a audiência.


Fonte: Prefeitura de Joinville - Foto: Phelippe José/Secom

Fundação 25 de Julho lança cartilha sobre maruim

Luiz Américo é pesquisador da Fundação 25 de Julho
A Fundação 25 de Julho começou a distribuir nesta semana em Joinville e região a cartilha sobre o mosquito maruim. Elaborado a partir dos estudos iniciais de técnicos da fundação e da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) o manual é uma das ações propostas nas reuniões para orientar a comunidade sobre métodos de prevenção e ações para evitar a proliferação do mosquito, presente em praticamente todos os municípios da região.

No documento constam informações que identificam o mosquito, sua origem, habitat, como se reproduz e maneiras paliativas de controlar sua infestação, uma vez que por enquanto não há métodos definitivos de combate. “A pesquisa sobre o maruim é realizada pelos técnicos, que já concluíram a fase de experimentos no campo. Agora eles partem para as análises de laboratório”, explica o presidente da Fundação 25 de Julho, Valério Schiochet.


O maruim ou mosquito-pólvora é um inseto de pequenas dimensões que se reproduz na matéria orgânica em decomposição. É um animal hematófago (as fêmeas se alimentam de sangue para poder reproduzir) e sua picada causa dor, inchaço e em pessoas alérgicas pode causar feridas. Na região de Joinville são quatro as principais espécies: a das arrozeiras, dos bananais, do mangue e do esterco orgânico.


O biólogo Luiz Américo desenvolve pesquisa sobre o mosquito. “É um processo que envolve várias etapas até que se possa chegar a um produto para o controle. Mas da mesma forma como ocorreu com o borrachudo, vamos identificar algum biolarvicida eficaz”, prevê. Atualmente são realizadas coletas, através de armadilhas, para verificar os locais e épocas em que o mosquito se apresenta com mais frequência.


Para intensificar e dar suporte às pesquisas, a Fundação 25 de Julho vai construir um laboratório específico para este tipo de estudo. “Além disso, estamos criando o Núcleo de Pesquisa Aplicada, setor que vai funcionar na Fundação para se dedicar a este e outros temas relevantes para o meio agrícola da cidade”, disse o Valério Schiochet.


Luiz Américo diz que mais armadilhas e criatórios foram montados para avançar a pesquisa, “pois o maruim está no mundo inteiro e a solução que buscamos servirá para todos”. Durante a pesquisa alguns produtos são elaborados e submetidos a testes de laboratório. “Todo o nosso trabalho segue as normas científicas de pesquisa e estamos pesquisando um repelente que será testado no verão para analisar a sua eficácia”, complementou.


A presença em abundância deste inseto na região Nordeste de Santa Catarina apresenta-se como um problema crônico e os métodos de controle calcados em princípios químicos, físicos ou biológicos ainda não se apresentaram totalmente eficazes. “Os prefeitos dos municípios nos procuram e querem uma solução para o problema”, relata Shana Kimi Farias Yamaguchi, analista da Amvali. De acordo com Karine Holler, analista ambiental da Amvali, a infestação do mosquito ocorre principalmente nos municípios de Corupá, Schroeder e interior de Jaraguá do Sul.


Como controlar o maruim


Por enquanto não existem bioinseticidas oficialmente registrados para o combate do maruim. Para amenizar os ataques as pessoas podem adotar medidas preventivas, como:
- Utilização de óleos à base de citronela, cravo e folhas de nem aplicados no ambiente.
- Utilização de telas de proteção tipo voal nas portas e janelas das casas e escolas.
- Eliminação de matéria orgânica nas imediações das propriedades.


Como contribuir para diminuir a infestação do maruim


- Evitar o acúmulo de matéria orgânica como madeiras apodrecidas, cascas de árvores, esterco e lama.
- Cobrir com plástico touceiras de bananeiras e de árvores cortadas que acumulam água.
- Manter limpos quintais e terrenos baldios.