circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Cozinheira do CEI Sigelfrid Poffo lança livro



A cozinheira Andrea Marques Ribeiro Forster trocou as panelas e as colheres pelo papel e a caneta ao dar vida à fábula que estampa as páginas de seu primeiro livro. Ela trabalha na cozinha do Centro de Educação Infantil (CEI) Sigelfrid Poffo, bairro Vila Nova, mas neste sábado (28/9) estará em meio aos livros, na Biblioteca Pública Rolf Colin, para o lançamento da publicação “Um Macaco Mentiroso e Um Tatu Invejoso”. O evento será aberto à comunidade e a partir das 10 horas o público poderá se encantar com a alegria e o sorriso contagiante da autora, ao conhecer um pouco mais sobre sua vida e obra em um bate papo descontraído. 


“A ideia para esta fábula surgiu enquanto tentava entreter meus netos de coração. Contei a história para eles e quando cheguei em casa coloquei no papel. A partir de então, projetos pedagógicos foram desenvolvidos com base neste texto e agora tenho a felicidade de ver o livro publicado”, conta Andrea.
A escritora já teve contato com seu público leitor em atividades desenvolvidas na Escola Municipal Adolpho Bartsch, na qual trabalhou, e também na Escola Municipal Emílio Paulo Roberto Hardt. Nas instituições foi criado o projeto literário “Da Cozinha para Sala de Aula”, no qual os alunos foram apresentados à fábula escrita por Andrea.

Depois de conhecer a história, as crianças eram instigadas a adivinharem quem seria ou como se parecia a autora e, segundo ela, poucos imaginaram que aquela fábula tinha saído da cozinha da escola. “Quando entrei na sala de aula um dos meninos chegou a comentar: a cozinheira também vai conhecer a escritora? Então contei minha história, revelei que a escritora era eu mesma e todos ficaram muito surpresos”.

A interação com os alunos proporcionou à autora aprendizado e reconhecimento ao perceber neles o interesse pela história do macaco que queria ser mágico. A publicação da fábula foi possibilitada a partir do contato de Andrea com uma editora, durante a 10ª edição da Feira do Livro de Joinville, e ela conta que já tem outros textos escritos, só esperando para virarem livros. “É um orgulho muito grande ver minha história transformada em livro e acredito que esta iniciativa pode também servir de incentivo para outras pessoas que escrevem textos maravilhosos, mas que não chegam a publica-los”, relata. Fonte: Prefeitura de Joinville / Foto: Phelippe José

Obras da adutora do Piraí interrompem Rodovia do Arroz no Vila Nova



A Companhia Águas de Joinville começou na manhã desta sexta-feira (27) mais uma etapa da implantação da nova adutora do Piraí. A obra acontece na Rodovia do Arroz (SC-413), entre o binário do bairro Vila Nova e Rua15 de Novembro. A previsão é que a obra de interligação entre duas fases de construção da adutora esteja concluída até domingo.

Os motoristas que passarem pelo local devem ter cuidado. O trânsito será desviado para as ruas Hermínia Penski e rua paralela, que terão sentidos únicos durante a intervenção.
Esta obra vai interditar totalmente a rodovia SC-413, mas não vai comprometer o abastecimento de água por se tratar de rede inativa.

Com a conclusão da implantação da nova adutora do Piraí, cerca de 200 mil moradores das zonas Sul e Oeste serão beneficiados. A tubulação, em ferro fundido e com maior capacidade de vazão (500 litros por segundo), vai substituir a antiga adutora construída nos anos 1950. O novo sistema, que está em fase final de implantação, está orçado em mais de R$ 17 milhões.

A Companhia pede a compreensão de todos e a atenção dos motoristas que transitam no local.
Mais informações pela central de atendimento 0800 723 0300.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Fumaça diminui depois de mudança de estratégia em SFS

Uma mudança de estratégia dos bombeiros conseguiu diminuir, nesta quinta-feira (26), a nuvem de gases que tomou conta de São Francisco do Sul, no litoral norte de Santa Catarina. A fumaça foi provocada por uma combustão química --uma espécie de incêndio sem chamas-- num galpão de fertilizantes, que começou na terça-feira (24) à noite.

A direção do vento, porém, muda rápida e constantemente, tornando imprevisível o alcance da fumaça. Por causa disso, moradores têm se deslocado de um lado para outro para evitar a nuvem, que é tóxica.

Nesta quinta-feira (26) a fumaça causada pela combustão ficou mais esparsa e menos concentrada. Foi da cor amarela para um branco acinzentado.
Para a prefeitura, é "muito difícil" que a nuvem chegue ao litoral de São Paulo, agora que arrefeceu.

No final da tarde, a fumaça tomou o centro da cidade, como uma neblina. O cheiro é semelhante ao de água sanitária. A orientação é que os moradores a evitem e rumem a lugares arejados.

"A mudança é boa. Quer dizer que diminuímos a temperatura e o pH", diz o comandante do Corpo de Bombeiros, Marcos Oliveira. Ainda que Oliveira não tivesse previsão de quando encerrariam o combate, dizia que enfim haviam adotado a estratégia acertada.

Por 40 horas, os bombeiros usaram escavadeiras e destruíram paredes para retirar o material do galpão e acabar com a combustão. Ontem, sob orientação de técnicos da Vale Fertilizantes, descobriram que, na verdade, estavam "alimentando" essa combustão.

A entrada do maquinário trazia novos componentes ao material, que estimulavam a combustão. A abertura de paredes ofertava ar para o processo e aumentava a temperatura do galpão, assim como o incêndio. "Agora, o combate está mais técnico", diz Oliveira.

Sensores térmicos indicam onde estão as áreas mais quentes para uso dos jatos de água. O teto do galpão também foi derrubado, para dar vazão à fumaça.

Até agora, dois bombeiros se feriram, com intoxicação pela fumaça. Um deles permanece internado em estado grave, com os pulmões comprometidos e respirando com auxílio de aparelhos.


Segundo o hospital, porém, seu quadro melhorou nas últimas horas e deve se reverter em alguns dias.

Fonte: Folha de S. Paulo on line

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Defesa Civil vai monitorar nível dos rios no fim de semana

Rio Águas Vermelhas estava 2,30m acima do nível normal
A Defesa Civil vai ficar de sobreaviso no fim de semana. As chuvas que caíram nesta sexta-feira (20) e a previsão do tempo para sábado e domingo preocupam os técnicos, que vão monitorar os principais rios da cidade. As Subprefeituras da Região Oeste, do bairro Vila Nova, e Sudoeste, que abrange os bairros Morro do Meio, São Marcos e Nova Brasília, também estão preparadas para atender a comunidade em caso de alagamentos.

O nível do rio Águas Vermelhas no final da tarde desta sexta-feira alcançou 2,30m acima do normal. Uma rua no Loteamento Willy Tilp, no bairro Nova Brasília, estava alagada. “A situação ainda é de normalidade, mas vamos continuar monitorando”, disse Márnio Pereira, coordenador operacional da Defesa Civil.
Nos outros bairros, uma ocorrência foi registrada no Jarivatuba na manhã desta sexta-feira (20), quando um muro de contenção desabou sobre a garagem de uma casa. Não houve feridos e a Defesa Civil não viu necessidade de intervenção. “A situação já está sob controle e os danos foram só materiais”, disse Márnio.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Obra de inteligação compromete abastecimento de água no Vila Nova e em mais oito bairros

A Companhia Águas de Joinville informa que uma obra de interligação de rede, que será realizada nesta quinta-feira (19), deve comprometer o fornecimento de água nos bairros América, Anita Garibaldi, Atiradores, Bucarein, Centro, Floresta, Saguaçu, Morro do Meio e Vila Nova. A manutenção tem início às 7 horas, com previsão de conclusão para as 18 horas. Em caso de chuva, a obra será adiada.

A Companhia pede a compreensão de todos e reforça a necessidade de caixa d'água e do consumo consciente. Mais informações pela central de atendimento 0800 723 0300.

Fonte: Prefeitura de Joinville

Motorista morre em acidente na Rodovia do Arroz

Acidente envolveu dois caminhões e um automóvel
A dona de casa Erecita Sasse, 63 anos, estava com o marido na roça, nos fundos de casa, quando por volta das 16h30 de terça-feira, foi surpreendida pelo barulho de uma batida entre um carro e um caminhão na SC-413, a rodovia do Arroz, no bairro Vila Nova, zona Oeste de Joinville.

— Eu consegui ver ainda quando os veículos bateram — conta a moradora, com naturalidade por já ter se acostumado as ocorrências.

Desta vez, o acidente envolvendo três veículos no km 27 deixou um morto e três feridos. Segundo moradores que estavam no local, o carro que trafegava sentido Guaramirim, teria invadido a pista contrária e batido em um caminhão, o motorista de outro caminhão que vinha em seguida não conseguiu frear a tempo e também bateu no primeiro caminhão.

As duas pistas ficaram interrompidas por cerca de uma hora. Houve congestionamento nos dois sentidos da rodovia.

Os feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros, Samu e pelo helicóptero Águia da Polícia Militar. Entre os sobreviventes, um adolescente que sofreu ferimentos leves no braço e foi levado para o hospital da Unimed.

O corpo do motorista do Onix,identificado mais tarde como Gabriel Córdova, de 25 anos, foi levado para o IML de Joinville, mas será cremado às 16 horas desta quarta-feira em Jaraguá do Sul, onde o jovem morava.

Segundo Erecita, acidentes com mortos também já se tornaram comuns neste trecho da rodovia.

— Há algum tempo, um motociclista morreu ali adiante na curva, foi uma mulher — lembra a moradora, que vive no local há mais de 11 anos.

Fonte: Jornal A Notícia - Foto: Maiara Bersch/RBS

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Festa da Polenta atrai mais de mil no domingo


Na zona Oeste, a Festa da Polenta foi só num dia, mas atraiu cerca de mil pessoas ao Vila Nova para o almoço com o típico prato da culinária italiana como protagonista. O evento organizado pelo Grupo de Desenvolvimento da Mulher Rural resgata a cultura de uma das principais etnias entre os imigrantes de Joinville. “É uma maneira de homenagear nossos pais de antigamente e celebrar a cultura italiana”, observou Nadir Zermiani, uma das organizadoras da festividade.


 Polenta foi o prato principal da festa da comunidade Santo Antônio

 
Além de atrair visitantes de cidades vizinhas, famílias joinvilenses encheram o galpão da comunidade Santo Antônio, algumas participando da festa pela primeira vez. Caso da família de Gionei Mistura, 30, do bairro Costa e Silva. “O evento é tradicional mas estamos vindo pela primeira vez. É bom fazer um programa diferente”, comentou, na companhia da esposa Idnéia Eulália de Oliveira, 36, e da filha Alexia, 11, antes de provar e aprovar as delícias do cardápio. As opções incluíram omelete com queijo, galinha caipira, macarrão caseiro, nhoque, queijos, verduras e, é claro, a polenta nas versões recheada, frita e na chapa.
Já o casal Osni, 69, e Relinde Benkerdorf, 63, é figura carimbada no evento. “Viemos todos os anos”, informou Relinde, que nasceu no Vila Nova mas hoje mora na região da Estrada da Ilha. Além dos atrativos gastronômicos, apresentações culturais com os grupos folclóricos italianos Fiori Alpini e Le Belle Amici, da comunidade Cristo Rei, e do coral Genitori ´Stiani, da comunidade Santo Antônio, deram o tom da animação durante o evento. “Eu sempre trabalhei na organização, mas desta vez fui só cantar. É uma festa maravilhosa, o povo adora”, disse Erlinda Moser, 73, do grupo Ganitori ´Stiani.
Para o vocalista e violonista do grupo Fiori Alpini, Milton Jaques Zanotto, a música reforça a necessidade do resgate da cultura italiana, considerando que as canções são executadas na língua de seus pais. “Vejo no trabalho do grupo o resgate e a continuação do que são nossas raízes”, refletiu ele, que tem levado para diversas cidades o trabalho do grupo, já com cinco anos de estrada e dois CDs gravados.  

Fonte: Jornal Notícias do Dia / Foto: Leandro Ferreira/ND

Programação da Semana Farroupilha em Joinville

Na terça-feira (17), às 20 horas, a chama passa pelo Vila Nova, com evento na Estrada Dedo Grosso, zona rural, lateral da Rodovia do Arroz. 


sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Feira multidisciplinar na Escola Karin Barkemeyer

A Feira Multidisciplinar da Escola Municipal Professora Karin Barkemeyer mexeu com o imaginário das crianças do 1º ao 5 ano. A busca por formas práticas de levar o conhecimento aos alunos motivou professores a elaborar temáticas que fazem parte do cotidiano das famílias. Assim, receitas culinárias se transformaram em ensino de literatura; brinquedos e brincadeiras antigas em aprendizado da história recente; o caminho de casa até a escola em estudo de topografia e engenharia. 

Realizada nesta sexta-feira, no bairro Vila Nova, a feira é fruto de um semestre de atividades com os alunos. “O objetivo desta feira é fazer com que todas as crianças, os pais e toda comunidade escolar entendam de uma forma bem clara que quando os conteúdos que são trabalhados em sala de aula são colocados em prática o aprendizado ocorre com mais facilidade”, disse o diretor da escola, Francisco Austregésilo de Oliveira. 

Em cada sala de aula, uma temática diferente foi preparada para consolidar o sistema de aprendizagem. Na sala dos primeiros anos, a professora Josiane Giovanela Nunes trabalhou no projeto “Aniversário do Seu Alfabeto”. Os pequenos organizadores da festa fizeram bolos e demais quitutes simbólicos, utilizando as letras do alfabeto. “É uma forma gostosa e prática de alfabetizarmos as crianças”, disse Josiane. 

Os alunos dos segundos anos trabalharam com temas variados, buscando resgatar a história recente. Brincadeiras antigas, parlengas, cantigas fizeram parte dos trabalhos apresentados. “Procuramos com isso resgatar a história dos pais e avós dos alunos, ao mesmo tempo praticando os conhecimentos de história e alfabetização”, conta Jeniffer Mattar, uma das professoras responsáveis pelo projeto. Outro grupo também trabalhou com o foco na família e nos tipos de moradia. 

Na sala dos terceiros anos as turmas elaboraram projetos na área de alimentação, da construção de moradias, com a confecção de maquetes e plantas baixas das casas. Com palavras simples, a aluno Priscila Eichholz dos Santos explicou como funcionou o projeto de sua sala de aula. “Nós desenhamos o modelo da nossa sala de aula, da nossa casa e do caminho que fazemos da casa para a escola”, disse. 

Formas geométricas e a lenda chinesa 

Um recorte da lenda chinesa que conta a história de um servo que levava uma placa de granito para o rei e, ao deixá-la cair se quebrou em sete pedaços de formas geométricas perfeitas, conduziu os projetos denominados Tangran (técnica de juntar formas diferentes) dos alunos dos 4ºs anos. Ao tentar juntar os pedaços quebrados, conta a professora Zinai Gomes D’Almeida Santos, “o servo descobriu que era possível formar várias formas, hoje reconhecidamente mais de mil”, explicou, citando a lenda.

E na sala do 5º ano a temática foi o estudo do corpo humano. Figuras, maquetes e um esqueleto humano serviram de base para os alunos explicarem o funcionamento dos sistemas do corpo humano, num contexto que envolveu biologia e conhecimentos gerais. “É na prática que os alunos aprendem de verdade”, lembrou Andréia Betina Klitzke, professora responsável pelo projeto. - See more at: http://www.joinville.sc.gov.br/noticia/5486-Feira+Multidisciplinar+envolve+alunos+da+Escola+Karin+Barkemeyer.html#sthash.idrFsrx9.dpuf

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Condomínio Vila Germânica elege nova diretoria

Nova diretoria do Condomínio eleita nesta quinta-feira
Em assembleia que reuniu mais de 150 moradores no galpão da Igreja Luterana da Estrada Blumenau na noite desta quinta-feira, uma nova diretoria foi eleita para comandar o condomínio Vila Germânica. O conjunto de prédios construídos no início da Rodovia do Arroz, que tem no total 600 apartamentos, conta hoje com aproximadamente 200 deles ocupados. De acordo com alguns moradores, era necessário destacar um grupo de pessoas com tempo disponível para organizar o condomínio. Por unanimidade, os moradores elegeram a equipe formada pelos conselheiros Durce, Andréia e Jonatas e pela síndica Anne. "Agora começa uma fase de muito trabalho", disse Anne. O Conselho das Associações do Vila Nova -CAVIN, esteve representado por seu presidente Adilson Girardi e pelo vice, Elpídio Zimmermann. 

Festa da Polenta celebra tradições italianas

A alegria e as delícias gastronômicas da Itália serão destaque no próximo domingo, com a 19ª Festa da Polenta, no bairro Vila Nova.

A programação começa às 9h30, com celebração da missa. A partir das 12 horas, para animar o almoço, apresentação dos grupos folclóricos italianos Fiori Alpini, Le Belle Amici e Coral Genitor D'Stiani.

No cardápio, pratos típicos italianos como polenta recheada, polenta frita na chapa, omelete com queijo, galinha caipira, massas caseiras, queijos e verduras. O preço é de R$ 20 por pessoa.

A animação continua durante toda a tarde. Às 15 horas começa a Tarde Dançante, ao som da Banda Mensagem. Haverá, também, exposição e venda de artesanato e produtos coloniais como paẽs, cucas, biscoitos, melado e geleias.

Mais informações pelos telefones (47) 4101-1056 / 9917-0835, com a senhora Nadir.

Serviço:

O quê - 19ª Festa da Polenta
Data: 15 de setembro de 2013
Local: Galpão da Igreja Santo Antônio – SC 413 – Km 23 – Rodovia do Arroz – Vila Nova – Joinville, SC

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Festa da Colheita da Sociedade Dona Francisca é no próximo final de semana

A fartura dos campos e pomares será comemorada durante a 35ª Festa da Colheita da Sociedade Dona Francisca, que acontece neste final de semana, de 13 a 15 de setembro.

Com muita música, tradições e gastronomia típica, o evento promete ser diversão para toda a família. A programação começa na sexta-feira (13/9), às 19 horas, com o torneio de Tiro de Seta.

A partir das 19h30, jantar embalado pela dupla Sandro e Wilson. No cardápio, a tradicional sopa preta (Schwarzsauer), ao preço de R$ 10 por pessoa; além de marreco (R$50), frango (R$30) e churrasco (R$20). As opções a la carte servem até três pessoas.

No sábado à noite, a partir das 21h30, acontece o concurso para eleição da Rainha e Princesas da Festa da Colheita. Na sequência, apresentação do Grupo Windmuhle e, às 22h30 inicia o baile com a apresentação da Eccos Band. Os ingressos custam R$ 25 para o casal.

No domingo, a animação começa às 10 horas, com o Desfile Alegórico dos agricultores e majestades da Festa da Colheita. O almoço será servido às 11h30 com buffet livre (R$ 22 por pessoa) de pratos típicos, como marreco, alcatra e língua.

A partir das 13h15, domingueira com o musical Estrada de Ouro e Banda Real do Paraná. Durante a tarde, serão comercializados pães, bolos e cucas.

A programação da 35ª Festa da Colheita da Sociedade Dona Francisca chega ao fim às 20h30, com a colheita dos legumes e verduras expostos na decoração da festa.

Mais informações pelo telefone (47) 3428-0271, com sra. Hilda Schulze.


Serviço:

35ª Festa do Colono da Sociedade Dona Francisca

Data: 13 a 15 de setembro

Local: Sociedade Dona Francisca – SC 301 – Km 83 - Pirabeiraba

Alerta para presença de escorpiões em Joinville continua

A Secretaria da Saúde de Joinville está alertando empresas e transportadoras que trabalham com produtos vindos dos Estados de Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Pernambuco, Alagoas e Pará para redobrarem a atenção para o risco da presença de escorpiões da espécie Tityus serrulatus. Conhecido como escorpião amarelo, ele é considerado o mais venenoso da América do Sul.

Em ofício enviado às empresas e transportadoras, a Secretaria solicita que os funcionários sejam orientados para o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), como luvas e botas, durante o manuseio dessas cargas. Caso qualquer exemplar de escorpião seja encontrado, a Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde deve ser avisada pelos telefones 3432-2337 e 3433-1660.

Agentes da Vigilância Ambiental continuam a investigação e a captura do escorpião amarelo, trabalho que foi intensificado em agosto com o aparecimento de exemplares desta espécie na região central de Joinville.  Nos últimos dias, o serviço também encontrou exemplares em outras regiões da cidade, o que aumenta a preocupação da Vigilância Ambiental.

O escorpião da espécie Tityus serrulatus possui as pernas e cauda amarela-clara e mede até sete centímetros de comprimento. Consegue ficar em jejum por meses e resiste a inseticidas por sua capacidade de ficar sem respirar por dias, até o efeito do produto passar. Ao encontrar um exemplar, a recomendação é avisar a Vigilância Ambiental e, se possível, conter o animal colocando sobre ele um recipiente de boca larga.

Até o momento, um único acidente com escorpião foi registrado em Joinville, no bairro Floresta. A vítima estava fazendo o descarregamento de produtos vindos de Minas Gerais quando foi picada. O paciente foi encaminhado ao Hospital Municipal São José, onde recebeu soro antiescorpiônico. Nenhum outro exemplar foi encontrado pelas Vigilâncias Ambiental e Epidemiológica de Joinville em outros pontos onde houve a descarga do mesmo caminhão.

O escorpião amarelo é mais comum em estados do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do Brasil, mas consegue se adaptar facilmente a outras regiões, o que contribui para sua sobrevivência e proliferação. Em Santa Catarina, alguns registros do aparecimento desta espécie foram relatados nos municípios de Biguaçu, Blumenau, Itajaí e São José.

O que fazer?

A picada do escorpião provoca dor imediata e, muitas vezes, intensa, com sensação de ardor, queimação ou agulhadas. Nos casos graves, que ocorrem geralmente com crianças, e principalmente nos acidentes causados por T. serrulatus, pode haver sudorese intensa, enjoos, vômitos, diarreia e dor abdominal, agitação, aumento da pressão arterial, arritmias cardíacas, edema pulmonar, alterações neurológicas e choque.

O controle de acidentes com escorpiões baseia-se em evitar condições propícias para o abrigo e à proliferação destes animais. Desta forma, recomenda-se manter limpos quintais, jardins, sótãos, garagens e evitar acúmulo de folhas secas, lixo e demais materiais como entulho, telhas, tijolos, madeiras e lenha. Em serviços de jardinagem, é indispensável o uso de luvas e botas para evitar o contato com o animal.

Em caso de ataque, a pessoa deve lavar o local da picada com água e sabão, fazer compressas mornas e se dirigir a uma unidade de saúde para avaliação do caso e encaminhamento a uma unidade de referência, que em Joinville são os hospitais São José, Regional e Materno Infantil. Casos considerados leves, apenas com dor local, serão tratados com analgésico. Casos moderados a graves receberão soro antiescorpiônico, disponível gratuitamente nestes hospitais.

Os telefones da Vigilância Ambiental para mais informações e notificação da presença desses animais são 3432-2337 e 3433-1660.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Polícia interdita dois bares no Vila Nova

Em uma operação de fiscalização a estabelecimentos comerciais em Joinville nesta quinta-feira, a Polícia Civil interditou dois bares no bairro Vila Nova, zona Oeste da cidade.

As fiscalizações ocorreram com informações do Ministério Público Estadual. Nos locais foram flagrados, em outras vistorias, máquinas de caça-níqueis.

Desta fez, a polícia constatou que os locais funcionavam sem autorizações necessárias — alvarás policial, sanitário, municipal — e em instalações precárias. Além disso, faziam uso de botijões de gás em condições de risco. Fonte: Jornal A Notícia

Prefeitura inicia dragagem do Rio Águas Vermelhas


Dragagem começou nesta semana no bairro Morro do Meio
A Prefeitura de Joinville iniciou nesta semana uma das obras mais importantes para as comunidades da região Oeste da Cidade. A dragagem, limpeza e desassoreamento do Rio Águas Vermelhas, que corta os bairros Vila Nova, Morro do Meio, Nova Brasília e São Marcos, reduz a possibilidade de alagamentos e possibilita maior vazão das águas nos períodos de chuvas intensas. A obra é realizada com recursos da Defesa Civil Estadual, com contrapartida do Município.

Os trabalhos, realizados pela empreiteira Motta Júnior, vencedora da licitação, começaram pela região do Jativoca, na ponte de ferro, e se estendem num trecho de 8 km, até a ponte na rua Minas Gerais. Deste ponto até a rua XV de Novembro, já no bairro Vila Nova, será realizado serviço de limpeza das margens e retirada de entulhos por equipes da Secretaria de Infraestrutura Urbana.

De acordo com Saulo Vicente Rocha, coordenador da Área de Bacias Hidrográficas, a quantidade de sedimentos licenciada é de 95 mil metros cúbicos. “Acima de 100 mil metros cúbicos a competência de licenciamento é do órgão estadual (Fatma)”, explica. Por isso, diz, Saulo, “neste momento o trecho entre o Nova Brasília e o Vila Nova receberá limpeza das margens e retirada dos entulhos”.

Para realizar a dragagem no trecho final do rio, a Secretaria de Infraestrutura Urbana já prepara termo de referência para captação de recursos (estimados em R$ 3 milhões). O processo também deverá ser submetido a licenciamento ambiental na esfera estadual, uma vez que a quantidade de sedimentos estimada é de 300 mil metros cúbicos.

Os recursos liberados pela Defesa Civil do Estado, destinados à contenção das cheias em Joinville, foram de R$ 1 milhão, com contrapartida da Prefeitura de R$ 428 mil. “Parte dos investimentos do Estado (R$ 250 mil) foram aplicados na construção da ponte sobre o Rio da Prata, em Pirabeiraba”, lembrou Antônio Edival Pereira, gerente da Defesa Civil do Estado. Fonte: Prefeitura de Joinville / Foto: Rogério da Silva / Secom