circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Mecanização facilita produção de aipim em Pirabeiraba

Novidade é a máquina de descascar aipim
Trabalhar na roça ficou mais fácil para a família Goudard, de Pirabeiraba. Vilson, a esposa Lilian e os filhos Leandro e Daniela passam o dia envolvidos com a produção de aipim, uma das mais promissoras culturas do meio rural joinvilense. O tempo da enxada vai ficando para trás. Do plantio ao beneficiamento, a propriedade conta com uma variedade de máquinas e equipamentos que facilitam o trabalho e garantem o sustento da família.

Há 15 anos no negócio, Vilson Goudard não se arrepende de ter trocado a cultura do tomate pela do aipim. “No tomate vai muito veneno e, além disso, quando o fruto está maduro precisa vender. Com o aipim é mais fácil, porque é possível armazenar por algum tempo”, compara. A opção de Vilson é validada por autoridades do setor agrícola. Segundo Osmar Vanderlinde, técnico da Epagri em Joinville (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão de SC), o aipim é uma cultura em plena expansão no município. “A produtividade média alcança de 15 a 20 toneladas por hectare”, estimou.

Para alcançar mais produtividade com o menor esforço, a família Goudard há algum tempo começou a investir na mecanização da produção. Na propriedade, todo manejo é automatizado, desde o plantio até a embalagem. A novidade fica por conta da máquina de descascar o produto, única em Joinville. “Através da Epagri e da Fundação 25 de Julho, ficamos sabendo da existência desta máquina e decidimos fazer a experiência, que acabou sendo um sucesso”, lembra Vilson.

Hoje estabelecidos como Agroindústria de Aipim Goudard, na Estrada do Pico, zona rural de Pirabeiraba, pais e filhos estão envolvidos diretamente na produção. Juntos e com a ajuda de mais um funcionário, são responsáveis pela produção mensal de 18 toneladas de aipim descascado e outras 22 toneladas do produto in natura. “Todo mês, são duas carretas cheias de aipim que saem da nossa propriedade”, conta Vilson Goudard. Toda produção é comercializada na região de Joinville, em pontos comerciais ou para compradores particulares.

Com uma média de 650 propriedades produtoras em 1.200 hectares plantados, o aipim aparece como quarta maior produção de alimentos em toneladas do município (20.400 t), ficando atrás da cana-de-açúcar (84.000 t), da banana (24.150 t), e do arroz irrigado (23.300 t). Já no quesito renda bruta, o aipim ultrapassa todos e aparece como principal cultura, com R$ 20,4 milhões ao ano. “O percentual de custeio da produção também é o menor entre as outras culturas, com 12%”, afirma Valério Schiochet, presidente da Fundação 25 de Julho. Assista o vídeo sobre o assunto aqui http://www.youtube.com/watch?v=K64Klg9ngY0&feature=youtu.be

Nenhum comentário: