segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Acidente em parque aquático fere cinco pessoas

Cinco pessoas de uma mesma família desciam juntas em um toboágua de um parque aquático na área rural de Joinville quando uma das chapas de fibra que revestem o brinquedo se soltou. A família passou por cima da fibra de vidro levantada e acabou tendo partes do corpo dilaceradas.
O acidente aconteceu por volta das 15h15 de sábado, na principal atração do Parque Aquático Cascata Piraí, no bairro Vila Nova: o escorregador aquático que tem mais de 200 metros de comprimento. Conforme a direção do parque, mesmo sendo proibido descer em grupo, pai, filha, marido dela e dois primos desciam o toboágua juntos, em forma de trenzinho, quando o brinquedo quebrou.
Equipes dos bombeiros voluntários de Joinville e do Samu atenderam às vítimas, levadas a três hospitais da cidade. O caso mais grave é o do técnico em fibras Marcos Lui, 47 anos. Ele teve partes das pernas e nádegas decepadas e está internado em estado grave na CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital Unimed. Também sofreu diversas fraturas nas pernas e bacia.
Também estão hospitalizados a filha dele, Graziela Lui, 25 anos, o marido dela, Samuel Silveira, 31, e os primos do casal, Diego Lui, 18, e Jonatan Willian de Silva, 17. Graziela e Samuel estão internados no Hospital Dona Helena. Ela escorregava atrás de Marcos e teve parte da coxa arrancada pela lâmina do tobogã. Samuel, que seguia atrás da mulher, teve o calcanhar arrancado. Ele teria visto que o sogro tinha se machucado e tentou frear, cravando os calcanhares nas paredes do brinquedo. Quando ele percebeu, o calcanhar estava só no osso.
Os dois rapazes que seguiam atrás de Samuel acabaram caindo para fora do toboágua. Eles sofreram cortes e fraturas nas pernas. Ambos foram levados ao Hospital Municipal São José. Diego passou por cirurgia e continua internado. Jonatan foi medicado e liberado, mas deve voltar à unidade nesta semana para fazer um procedimento cirúrgico.
O dono do complexo aquático, Pedro Gabriel Adriano, classificou o caso como uma fatalidade. “Neste brinquedo, é proibido andar em grupo. Apenas uma pessoa de cada vez pode descer. Esta família não obedeceu às regras, e como desceram em cinco, todos bem cheinhos, o equipamento não aguentou. Eram mais de 400kg fazendo pressão na lâmina, que cedeu”, avaliou.
Segundo ele, o parque passa por revisão periódica. “Este brinquedo passou por manutenção há poucas semanas. Na semana passada, os bombeiros nos visitaram e tava tudo certo. Nosso parque é seguro e conta com vários monitores. Este fato isolado só aconteceu porque utilizaram o brinquedo de forma errada. Mesmo assim, estamos prestando assistência à família”, garante. A foto é de Carlos Júnior/ND e o texto de Windson Prado do jornal Notícias do Dia, edição desta segunda-feira, dia 12/12/2011.

4 comentários:

vini disse...

ufa ainda bem que eu não fui... porque na próxima semana eu ia no parque...

Patricia Luz fernandes disse...

Infelizmente ocorreu esse grave acidente em um parque tão bonito, eu e minha família já estivemos no lugar e realmente é maravilhoso. Agora, julgo decepcionante as palavras do responsável pelo parque. Dizer que o acidente ocorreu por serem um grupo de “cheínhos” ... é lamentável. O que tinha pra ceder em um revestimento de concreto??? Afinal o toboágua não é feito de concreto?? E apenas o revestimento é de fibra? O que cederia então?? Gostaria que me explicassem, porque realmente não consegui entender. O revestimento passa distante do concreto?? Que qualidade teria esse material utilizado então??? O que me parece que ocorreu foi uma lâmina descolada, solta, que com a devida manutenção não poderia ter acontecido. A proibição de um grupo descer no toboágua deveria ser monitorada também. Ou não há ninguém fazendo isso no parque?? Imagino que o parque mantém um convênio com ambulância e profissionais de prontidão durante o funcionamento...ou será que estou enganada???
Desde que soube do acidente, senti muito assim como muita gente, mas também imaginei...uma fatalidade! Mas agora, lendo ao reportagem a respeito do acidente, sinto ainda mais pelas vítimas que se não bastasse o acidente que sofreram, ainda são vitimados por uma ridícula acusação de não seguir as regras. Regras devem ser sempre bem estabelecidas e monitoradas por quem as determina. Enfim, espero que essas pessoas fiquem bem. E que o parque tenha mais cuidado e responsabilidade para com seus clientes

iza disse...

As palavras do responssavel pelo parque foram com toda certeza infelizes,como alguem pode se referir a um cliente dessa maneira desrespeitosa,cinco pessoas estao no hospital,em estado grave,o minimo a fazer senhor responsavel pelo parque é pedir desculpas,e espero que as autoridades tomem as devidas providencias. Esse parque tem que ser fechado e o responsavel processado,por suas palavras preconceituosas contra uma.familia que so queria se divertir.
Fechem esse parque autoridades,antes que aconteça de novo.
Desejo que Deus ilumine todos os cinco,que nao fiquem sequelas,
FORÇA E PAZ PARA TODOS!!!!!

iza disse...

Uma grande fatalidade onde o responssavel por esse parque é o maior culpado,cade os estrutores pra mostrar o que pode eo que nao pode.
Sem educação,essa e a palavra que melhor achei para essa pessoa que se diz responsavel pelo parque,uma pessoa responsavel nao ofende seus clientes,cade a manutençao desses tonboaguas.
Tome vergonha na cara,pessa descupas a familia
e pelo amor.de.Deus feche esse parque ,,,a comunidade agradece.
Que Deus ilumine a todos os cinco da familia.
Muita PAZ PRA TODOS E É CLARO,MUITA FORÇA pra superar o acontecido.........Iza