circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

sexta-feira, 3 de junho de 2011

População do Vila Nova cresceu 41,33% em 10 anos

O bairro Vila Nova cresceu 41,33% entre os anos de 2000 e 2010. Os dados são do Censo 2010 e estão presentes no “Joinville: Cidade em Dados 2010-2011”, divulgado nesta semana. O livro, uma coleção de informações sobre a cidade, é produzido todos os anos pelo Instituto de Planejamento Urbano (Ippuj).

De acordo com o levantamento do Censo, em 2000 o bairro tinha 15.695 habitantes e em 2010 foram registrados pelo IBGE 22.181 moradores. Na região Oeste, o bairro que mais cresceu foi o Morro do Meio, que passou de 7.413 para 10.535 habitantes, com um índice de 42,12%, um ponto percentual acima do Vila Nova. Nova Brasília passou de 11.211 para 12.843 pessoas (14,53%) e o São Marcos, bairro que menos cresceu em população, passou de 2.477 para 2.640 habitantes (6,58%).

Considerando que os dados são relativos a 2010, com um ano de defasagem, pode-se concluir que a região Oeste (computando-se os bairros Vila Nova, Morro do Meio, São Marcos, e Nova Brasília) conta hoje com aproximadamente 50 mil habitantes. A relação com os dados de todos os bairros pode ser visualizada em A Notícia.

2 comentários:

luciane araujo disse...

Em Janeiro de 2009 viemos morar em joinville,mais precisamente no Vila Nova, eu meu marido e minha filha.No ano seguinte mais duas pessoas.Este ano mais dez.
Nosso bairro é muito bom,a principal queixa é a respeito da falta de segurança no trânsito e outras no quesito secretaria regional.

Zabot disse...

Caro Adilson

Quem conheceu a Vila Nova, como Vila, e não como Bairro, em 1979, surpreende a expansão urbana.
Na época, contava-se nos dedos os moradores da rua XV de novembro. Famílias, algumas famílias: Trapp, Baumer, Backmeyer, Bublitz, Pensky, Ganzemuller, Felippi,Poffo,Campos e outras que não me ocorre; e as empresas: a Cooparoz, hoje em ruínas, e o posto Baumer que contínua firme.
É claro, mais adiante, a área rural, embora modificada, ainda conserva os traços históricos, e boa parte da famílias tradicionais ainda residem na região; cultivam os campos. Ter atuado como Agrônomo ao lado dessa gente maravilhosa, muita nos alegra.

Onévio Antonio Zabot