circulando na vila

Bem vindo a este espaço, que se propõe divulgar as principais notícias do Vila Nova e região. Participe, com sugestões, ideias, fotografias...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Oportunidade de renda extra para mulheres da zona rural

Além do lucro gerado pelos produtos colhidos na agricultura familiar, a mulher rural de Joinville pode aumentar sua renda por meio de capacitações desenvolvidas pela Fundação 25 de Julho.

Criado há 25 anos, o Programa de Desenvolvimento da Mulher Rural tem o objetivo de valorizar a mulher agricultora. A iniciativa nasceu com 220 mulheres e mesmo com o êxodo rural, conta hoje com 18 grupos espalhados pelas áreas agrícolas. Ao todo, 270 famílias são diretamente beneficiadas pela iniciativa. "Quando a gente começou ninguém sabia fazer atividade manual, era muito complicado. Hoje, muitas produtoras já vendem seus materiais na comunidade local", conta Ana Uliano, presidente do Grupo Estrada do Piraí.

Os grupos têm de aulas de bordado, crochê, acabamento, reciclagem (utilizando caixas de leite e garrafas pet), e com isso produzem toalhas, panos de pratos, lençois, roupas de cama entre outros artefatos. O desenvolvimento sustentável e responsável com o meio ambiente é uma das bandeiras do programa. As oficinas de bordado e crochê acontecem todas as segundas-feira a partir das 14h, no grupo Estrada do Piraí. O curso é contínuo e as inscrições são gratuitas - direcionadas às mulheres rurais. Para participar basta procurar a Fundação 25 de Julho pelo telefone 3473.5340.
A Fundação 25 de Julho é responsável pelas capacitações e suporte a essas mulheres através da realização de palestras, seminários e de acompanhamentos. A cada 15 dias uma instrutora da fundação percorre os 18 grupos para verificar o andamento dos trabalhos e propor novas ideias e metas. E a cada dois anos a entidade realiza o Encontro Regional da Mulher Rural.

Só em 2011, dois grupos amparados pelo programa realizaram festas populares com o patrocínio do Simdec. Além do resgate cultural e gastronômico, as festas proporcionam conhecimento agrícola e a integração comunitária. O programa também atua nas áreas de nutrição, educação e cidadania. Fonte: PMJ/Secom

3 comentários:

Tarciso Jannig disse...

Ótima matéria, apenas corrigindo o horário de inicio dos encontros semanais para 14:00 horas.

Zabot disse...

Mulheres rurais

As mulheres rurais de Joinville estão de parabéns. Desde a criação da Fundação 25 de Julho, em 1966, no governo Nilson Bender, os grupos atuam de forma contínua.
Com variações nominais(grupo,projeto, programa), mas basicamente, desenvolvendo trabalhos manuais e artesanato. A produção partícipe de inúmeras exposições e feiras, dada a qualidade, sempre causou e causa ótima impressão: seja pela utilidade, seja pela qualidade artística.
Ás instrutoras, desde as mais antigas, como Dona Irma Schiochet que percorria longos trajetos de bicicleta até os locais de encontro; a todas, cujo nome não ocorre, e as atuais, nosso reconhecimento; assim como às cordenadoras: Irma e Edith, entre outras.

Onévio Antonio Zabot

Tarciso Jannig disse...

Sr. Onévio Zabot.
Esclarecendo: Se o grupo de mulheres formado por iniciativa da minha esposa dependesse da ajuda da Fundação 25, já não existiria mais, uma vez que, essa ajuda tem sido muuuuuito tímida.