sexta-feira, 11 de março de 2011

Mais uma vez


Centenas de moradores do Vila Nova passaram mais uma noite levantando móveis, abandonando casas e tentando de todas as formas evitar que a água se alastrasse pelas suas propriedades. E o que é pior: desta vez sem energia elétrica, suspensa por volta das 22h30, justamente no momento mais crítico das cheias. Havia água inclusive na Rua XV de Novembro, mas os alagamentos atingiram principalmente as laterais da Bento da Rocha, Paulo Schneider, Lioeses Domiciano, Loteamento Jardim Florêncio, Jardim Cristofolini, Rua Catarina Baumer, Rua Jacob Baumer e Jardim Vila Nova, nos fundos do terminal de ônibus. A energia elétrica só foi restabelecida às 00h20.

3 comentários:

Júlio César disse...

Realmente a natureza tem mostrado uma certa revolta sobre a terra...esperamos que em Joinville não seja pelo incentivo ao carnaval (prazeres da Carne e não do espírito). Interessante também a matéria...sobre o dia da mulher...convém ver o comentário.

Tarciso Jannig disse...

Realmente os prazeres da carne e muita festa, estão a frente das necessidades dos moradores diante dos estragos que as chuvas tem causado, lamentável.
Nós na Estrada piraí também estamos sofrendo muito com as fortes chuvas. E alguns prejuízos em razão da falta de uma gestão eficaz do governo.

Magalí disse...

Com a água passando sobre a Rua XV de Novembro na noite de quinta-feira, centenas de carros, ônibus e caminhões ficaram a mercê da tempestade, sem poder entrar ou sair do Vila Nova. E na sexta-feira pela manhã tive a oportunidade de fotografar os bueiros, ja que fiquei num engarrafamento de 30 minutos para percorrer 1 km, até a NSO. Prejuizos que o homem gerou foi o que registrei.Fácil achar erros nos outros, mas os copos, garrafas e papelões não foram ali colocados por órgãos políticos.