domingo, 27 de fevereiro de 2011

Artigo sobre o binário

Transcrevemos abaixo, o artigo de Adilson Girardi, publicado na edição de sábado do jornal Notícias do Dia.

Queremos o binário, sim

Em meio às manifestações e discussões que parecem se arrastar como as águas das chuvas (que não são de hoje) o Vila Nova não pode abrir mão da obra mais importante e esperada nos últimos anos: o binário com a rua XV. Só quem enfrenta as filas de todas as manhãs e finais de tarde é que sabe o tamanho do sacrifício dos moradores do lugar que outrora era considerado o melhor e mais tranquilo bairro para se viver.

Quem conhece pelo menos um pouco da história do Vila Nova sabe que vivemos fases cíclicas de problemas. Na época da criação do bairro, no século passado, foi preciso implantar um aterro de mais de dois metros para construir a Rua XV, chamada naquele tempo de Estrada do Meio, depois Estrada Blumenau. Nos dois lados da rua, tudo ficava embaixo d’água, com qualquer chuva. Com o passar dos anos, a travessia da BR -101 passou a ser o nosso grande desafio, quando não existia o viaduto. Quantas vidas preciosas se perderam naquele local! Depois, a luta pela pavimentação da Rua XV de Novembro, enfim realizada em duas etapas. Mais recentemente, a implantação da Rodovia do Arroz foi outra “novela”, aguardada pelos moradores da antiga Estrada do Sul por mais de duas décadas.

É lógico que todas estas obras trouxeram outros transtornos, principalmente no trânsito, que precisaram ser resolvidos através de intervenções dos setores competentes das administrações estadual e municipal. É para isso que existe a engenharia. Aliás, problemas também virão depois da construção do PA 24 Horas, assim como já vieram com a implantação das 600 unidades de apartamentos no final da Vila.

Porém, cabe aos nossos vereadores e à sociedade organizada fiscalizar, cobrar e exigir qualidade nas obras públicas. Neste sentido, o Vila Nova tem sido próspero em suas ações, pelo menos no que diz respeito à mobilização popular. A recente criação da Associação de Moradores do Alto da Rua XV – AMARXV, em parceria com as associações já organizadas do bairro, como a do Parque XV, do Jardim Cristiane, a do Vila Nova, do Conjunto Irineu Bornhausen e da rua João Miers, revigorou os movimentos organizados.

O que não se admite é que procurem desacreditar, sob o pretexto de que males maiores poderão advir, uma obra já licitada, com financiamento pré-aprovado e com 90% dos terrenos desapropriados. Não estamos lidando apenas com sonhos e desejos utópicos. Famílias tiveram que sair de suas casas, mudar rotinas, alguns até enfrentaram a dor da morte, como é o caso das famílias de Egon Krüger e de Antonio Peixer. Estamos falando de dinheiro público, meu e seu, pago com os nossos impostos.

Não abrimos mão do binário. As batalhas, venceremos cada uma a seu tempo.

Adilson Girardi

Jornalista, Funcionário Público, Morador do Vila Nova há 46 anos.

5 comentários:

Zabot disse...

Caro Adilson

Perfeita a consideração. Há certas coisas que são difíceis de assimilar: caso da demora na obra do binário. Lembro-me de outra novela parecida: o viaduto sobre a BR-101, na reua XV de novembro. Houve até sessão da Câmara de Vereadores no local. É inimaginável nos dias de hoje o bairro sem aquele viaduto. Obra essencial, se a comunidade não à luta, sabe lá Deus quando sairia.
O binário, para sair do papel, precisa disso: insistência, cobrança permanente da comunidade aos setores responsáveis, como vem acontecendo. À luta, portanto, vilanovenses e jonvilenses.

Onévio Antonio Zabot

Anynha disse...

Últimamente todas as melhorias feitas em Joinville tem causado problemas a comunidade e o binário do Vila Nova será mais uma delas, como para os moradores das primeiras ruas do bairro ao lado esquerdo da rua XV que já ficam em baixo da água quando chove, imagina quando fizerem o binário, esse é um grande problema, melhora o trânsito e acaba com a tranquilidade das famílias desta localidade.

Léia disse...

Caro Adilson quero lhe parabeni- sar pela iniciativa, muitas vezes acho que o binário caiu no esquecimento e a população que paga todos os seus impostos como sempre fica no prejuizo, aguardamos anciosamente por boas noticias!!!!!

Tarciso Jannig disse...

Parabéns Adilson por sua manifestação.
É dessa forma que nossos governantes (independente de partidos políticos)tomam conhecimento dos reais sentimentos das pessoas.
Vale dizer que, nossos governantes precisam ser mais pro-ativos em suas ações, para prever e tomar ações necessárias para minimizar eventuais impactos negativos em cada obra que se pretende construir.
Estamos fartos de administradores públicos que, sequer conseguem ser reativos.

Ribeiro disse...

Nunca é tarde para começar!! Velho ditado que sempre está presente, realmente precisamos de alguém em nosso bairro que levante essas bandeiras que até então nenhum político tem levantado!! Que seja você Adilson, e que principalmente a população mais atingida do nosso bairro e cidade sejam alcançadas por essa vontade de mudança!!